Consumidor ainda pagará mais pela greve dos caminhoneiros
Blogs e Colunas | Marcio Rocha 12/06/2018 17:24

Depois que foi publicada a Medida Provisória 832/2018, que estabelece preços fixos para a tabela dos preços do frete para o transporte de cargas via caminhões, criou-se um clima pouco favorável para as empresas do comércio em geral. Promover a determinação de preços mínimos do transporte é uma atitude anacrônica, no que diz respeito à afirmação de contratos entre empresas com os transportadores, promovendo um considerável aumento de custos para toda a atividade comercial. O tabelamento fere o princípio de competividade do mercado, prejudicando muito fortemente a indústria sergipana, que poderá ter problemas para enviar seus produtos para outros estados, devido aos preços que se colocaram em elevação.

O tabelamento de preços do frete irá promover um aumento abismal para as empresas que compram produtos para distribuir no comércio. Considerando que, em Sergipe, a maior parte dos produtos industrializados vem de fora do estado, principalmente os gêneros alimentícios. Isso afetará atacado e varejo como uma consequência direta.  O preço do serviço de transporte, segundo o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (ABIA), Wilson Mello, poderá subir em 80% para o setor.

Para o produtor sergipano, isso é nocivo, em virtude de que os industriais terão dificuldade em mandar os seus produtos para fora do estado. O tabelamento do preço do frete prejudicará sobremaneira o comércio, que depende dos produtos de outros estados, como a indústria e os produtores agrícolas, que precisam enviar bens de consumo para outros lugares do país, já que acaba com a livre concorrência de preços entre produtores e transportadores.

A medida do Governo Federal promove aumento dos custos com logística das empresas. Considerando que transporte é o principal fator do preço de venda do produto no atacado e no varejo, a conta será paga pelo consumidor. O agronegócio, que é responsável pela matéria prima da indústria alimentícia, enfrentará dificuldades com a fixação de preços da tabela, o que já foi feito de maneira elevatória, já que o preço do final do produto será encarecido, o que provocará um efeito cascata em todas as atividades da economia. Esse é mais um reflexo da greve dos caminhoneiros que será pago pelo consumidor. Já não basta a redução no óleo diesel, que irá influir no aumento do preço da gasolina. O governo continua cedendo e quem paga a conta é toda a população consumidora, o que irá afetar na economia como um todo.

Mais uma vez não se veem atitudes que enfrentem as causas reais dos problemas, somente medidas paliativas para atender reivindicações setoriais, mesmo que justas, que causarão graves distorções em outros setores empresariais e na economia.  Espera-se que o debate nacional deixe de   ser pontual e possamos ter uma economia LASTREADA nos princípios da livre concorrência, regras de negócio claras e agências reguladoras profissionalizadas sem ingerência política.

 

Laércio quer fábrica em Carira

O deputado federal Laércio Oliveira foi a Carira atendendo ao convite do secretário de Obras, Gabriel Chagas, que está em negociação para levar uma fábrica para o município. Essa empresa será instalada no local em que funcionava a fábrica de calçados Azaleia, que foi fechada em 2014 deixando centenas de pessoas desempregadas. Laércio visitou o local, em companhia do prefeito Negão e representantes do Governo de Sergipe. Laércio disse que a fábrica poderá gerar até 600 empregos para a população da cidade e que o momento é de buscar captar investimentos de empresas para gerar emprego e renda para os sergipanos.  “Não podemos perder a chance que essa fábrica se instale em Carira e traga desenvolvimento para toda região. Após saber as reinvindicações para que consigam finalizar a negociação, irei procurar o secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho e o diretor-presidente da Codise, José Matos Lima Filho, para saber como o estado pode ajudar e, no que for possível, estarei à disposição sempre”

 

GBarbosa incentiva uso de sacolas retornáveis

Ecologicamente corretas, as sacolas retornáveis são uma forma sustentável dos clientes de supermercados e hipermercados levarem as compras para casa. Para comemorar a Semana do Meio Ambiente, a rede GBarbosa dará desconto nas vendas das sacolas retornáveis em todas as lojas. As chamadas ecobags, já são muito utilizadas nos EUA e em países da Europa. Para se ter uma ideia, as sacolas plásticas são responsáveis por 10% de todo o lixo produzido mensalmente no Brasil. Somente na rede GBarbosa, são 15 milhões de sacolas plásticas consumidas por mês. É importante que a sociedade adote novos hábitos em prol do meio ambiente, procurando substituto para as sacolas tradicionais. Para a gerente comercial do Bazar da Cencosud Brasil, Joana Karla Souza, trata-se de uma proposta contemporânea. “Estamos muito felizes em incentivar o uso das sacolas retornáveis, que ainda não são um hábito da população. Com capacidade de até 15kg uma sacola retornável ajuda a poupar, pelo menos, seis sacos plásticos, que podem levar até 300 anos para decompor”.

 

Ecobags

A coleção de sacolas retornáveis Artistas do Brasil, além de ecológicas, valoriza o trabalho de artistas brasileiros, unindo arte urbana e consumo consciente. São mais de dez modelos colecionáveis que levam o design de Dan Roots, Tito Ferrara, PixoteMushi, Tama-yo, entre outros representantes da street art. Com cores vivas, as estampas trazem traços de regionalidade, diversidade, mandalas, natureza, entre outras, dando origem a ecobags cheias de atitude e estilo. Além disso, vinte centavos de cada sacola vendida são destinados às ações sociais do Instituto GBarbosa. “Além de adotar uma atitude consciente no dia a dia, os clientes que compram as sacolas também estão colaborando para que possamos realizar ações que visam à qualidade de vida da terceira idade, nosso compromisso social”, destacou o vice-presidente do Instituto GBarbosa, Fábio Oliveira.

 

Soluções financeiras

O Sincadise convida todos os empresários do comércio atacadista e distribuidor para participarem da Assembleia Geral Extraordinária no próximo dia 15 (sexta-feira), que acontecerá às 11h30, no Del Mar Hotel, para acompanhar a apresentação de linhas de crédito especiais que serão disponibilizadas pelo Banco Sicoob. O banco disponibilizará diversas oportunidades em soluções financeiras para as empresas, de forma exclusiva para os associados do sindicato. Durante a reunião, também haverá o almoço com negócios, que terá a presença do deputado federal Laércio Oliveira, representante da classe empresarial na Câmara dos Deputados, que fará uma palestra sobre o quadro econômico e político nacional e como os empresários podem aproveitar o momento para investir em seus negócios.

Notícias em Sergipe
Mais Notícias de Marcio Rocha
15/12/2018 09:43

CNC prevê que pagamento de 13º somará R$ 204,4 bilhões

30/11/2018 12:03

OIT: salários no Brasil subiram acima da média mundial em 2017

23/11/2018 09:29

Brasil gera 790 mil novos empregos em 10 meses

19/11/2018 08:32

Previsões para o varejo

09/11/2018 17:13

Abertura comercial pode gerar crescimento adicional de 1,5%

Blogs e Colunas
Marcio Rocha
Marcio Rocha é jornalista formado pela UNIT e radialista formado pela UFS, especializado em economia, com experiência de quase 20 anos na comunicação sergipana.

E-mail: jornalistamarciorocha@live.com


O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.
Cine F5Aquaman é a redenção para os filmes da DC
ModaGrávidas com estilo: confira inspirações de looks