Criminosos usam tecnologia para bloquear alarmes de veículos em Sergipe
Cotidiano 01/02/2016 20:00

Por Fernanda Araujo

Neste final de semana um sergipano foi preso na Bahia minutos após arrombar um veículo usando um aparelho que bloqueia o sinal do alarme e o travamento das portas de carros. Saulo Vieira Bispo, 30, e mais dois comparsas tentaram furtar os pertences que estavam dentro do carro de um cliente da concessionária Toyota Terra Forte. Mas foram flagrados pela vítima, que acionou a polícia. Os outros homens fugiram. Saulo confessou que já havia violado outros veículos da mesma forma, usando o aparelho.

Há um mês, em Sergipe, um engenheiro que trabalha na Prefeitura de Maruim foi vítima deste mesmo golpe, que bloqueia o alarme do veículo. Foram furtados uma mochila, um notebook e documentos. O crime aconteceu próximo à agência da Caixa, em Maruim. Na semana passada, no estacionamento do Banco do Brasil do bairro Coroa do Meio, em Aracaju (SE), houve também um arrombamento de carro. Há suspeita de que o criminoso tenha usado esse equipamento para facilitar o furto.

Esses e mais outros casos têm levado a polícia sergipana a investigar o uso desses aparelhos, o que não é nenhuma novidade em Sergipe, como conta o delegado Marcelo Cardoso. “Teve agora certa repercussão porque apareceu imagem de um caso nas redes sociais. Já teve uma apreensão desse aparelho aqui em 2014. Ele bloqueia o travamento das portas, emite sinais eletromagnéticos que impedem que o seu controle, geralmente também virtual, trave as portas”, explica o delegado.

Não é só o aperfeiçoamento da modalidade desse tipo de crime que assombra, mas também a facilidade em comprar o aparelho, que pode ser adquirido pela internet. “Em um dos casos, o criminoso disse que comprou o aparelho na internet, mas não especificou em qual local, mas deve ter em sites como Mercado Livre. Outro comprou em Feira de Santana (BA) numa feira chamada Feiraguai, onde vende produtos importados. Ou seja, não é um produto controlado, qualquer pessoa pode comprar e utilizá-lo com facilidade”, ressalta Cardoso.

Ao registrar a ocorrência, a polícia questiona se há sinais de arrombamento. Na maioria dos casos, segundo Cardoso, os sinais existem já que os bandidos utilizam chave de fenda para arrombar a fechadura. No entanto, se não há sinais, não significa dizer que foi com o aparelho, o assaltante pode ter usado uma chave falsa.

“A gente só tem condições de afirmar, realmente, que foi com esse aparelho quando a ação criminosa é filmada ou tem testemunha, como foi aquele caso do estacionamento do Banco do Brasil, na Coroa do Meio. Nas imagens dá para perceber que o cara não força porta nenhuma, e ela está aberta, tudo leva a crer que ele usou o aparelho para inibir o travamento das portas”, assegura o delegado.

É uma ação rápida, mas, de acordo com o delegado, se o motorista estiver atento ele pode perceber. Ao fechar a porta, geralmente, tem o som do alarme ou da trava, a maioria dos aparelhos inibe essa sonoridade. “Pode ser que varie de aparelho. Por isso, mesmo usando o travamento elétrico, o motorista deve se certificar, puxar a porta para ver se realmente ela está fechada. O pessoal já sai do carro apressado, trava e não tem o cuidado de checar, é nesses casos que alguns se aproveitam”, orienta. A polícia também recomenda que, se possível, não deixe pertences de grande valor dentro do veículo.

 

Fotos: reprodução internet

Mais Notícias de Cotidiano
20/05/2019 16:00 Quatro malas com 180 kg de maconha são apreendidas com casal
Drogas estavam dentro de um táxi com placa de Aracaju, em Itabaiana
20/05/2019 12:40 José Aderval Aragão lança livro no Museu da Gente Sergipana
20/05/2019 12:21 Acusado de traficar anabolizantes volta a ser preso em Aracaju
Um comparsa do suspeito também foi detido com 300 produtos ilícitos
20/05/2019 11:30 Polícia Militar identifica local de desmanche de veículos em Aracaju
Um homem foi preso e detalhou funcionamento da organização criminosa
20/05/2019 11:15 Acusados de tramar execução de guarda em Carmópolis são presos
Colega de farda é suspeito de colaborar com o plano, movido pelo tráfico