Sergipe
Quatro municípios sergipanos estão sem delegados, diz promotor
SSP afirma que novos concursados devem suprir a demanda no interior do estado
Cotidiano| Por Fernanda Araujo 15/03/2019 14:06 - Atualizado em 16/03/2019 11:59

Pelo menos quatro cidades no Leste sergipano estão com as unidades policiais sem delegados, segundo apurado pelo promotor de Justiça Francisco Lima, que atua nas regiões e abriu inquéritos para investigar a situação. O quadro foi discutido em audiência no Ministério Público Estadual, através do Centro de Apoio Operacional de Segurança Pública.

Os municípios de Gararu, Canhoba, Itabi e Nossa Senhora de Lourdes estão sem delegados de forma regular, e em uma das cidades, em Canhoba, policiais civis não são encontrados nas unidades, de acordo com o promotor, que realizou visitas no segundo semestre do ano passado. Com essa lacuna, segundo ele, tem crescido o número de reclamações de pessoas que relatam dificuldades em registrar ocorrências.

Ainda de acordo com Francisco Lima, em Canhoba a sala do cartório estava trancada e, segundo o militar responsável, pelo menos há 15 dias nenhum policial civil tinha comparecido àquela unidade. Dois inquéritos civis tramitam na Promotoria de Justiça de Gararu para apurar a situação em Canhoba e na própria Gararu.

“A persecução penal nos municípios em questão vem se restringindo aos casos de homicídio e violência doméstica, com pouquíssimas investigações referentes a outros delitos”, afirmou o promotor, que também citou problemas estruturais e de má conservação nas delegacias, a exemplo de mato alto e sujeira ao redor.

Conforme o coordenador das Delegacias do interior, Jonathas Evangelista, o efetivo de policiais é insuficiente para manter as delegacias abertas todos os dias, há apenas equipe para acompanhar os delegados. Uma lei estadual permite ainda que delegados acumulem funções em outras unidades e, segundo o coordenador, são observadas as necessidades de cada município.

Ao F5 News, o Núcleo de Comunicação da Polícia Civil, da Secretaria de Segurança Pública, disse que municípios em que o número de ocorrências é menor, se comparado a outras cidades do interior, não se justifica ter delegados regulares nessas cidades. Ainda de acordo com a pasta, 40 pessoas que passaram no concurso já devem fazer o curso na Academia de Polícia Civil (Acadepol) e desses, 11 já farão parte do efetivo nas cidades do interior este ano.

“É comum que um delegado de uma cidade menor acumule a função em outra cidade, justamente para que dê conta dessas ocorrências. Como acontece no próprio Ministério Público, tem promotor que acumula a sua unidade com outra. Esses municípios citados se enquadram nessa situação. O efetivo de fato não é o ideal, mas o concurso foi realizado e vai suprir essa demanda”, disse a assessoria.

Atualmente, o concurso está na fase do teste psicotécnico, em seguida os candidatos farão a prova oral e o curso na Acadepol, seguindo os trâmites legais do certame. A lista atualizada de servidores e escala de atendimento dos delegados de Gararu, Nossa Senhora de Lourdes, Itabi e Canhoba deve ser encaminhada ao MP.

F5 News procurou a diretoria da Associação dos Delegados de Polícia (Adepol) para comentar o assunto, mas a informação é de que o presidente está em audiência. Não houve resposta até a publicação desta matéria.

Mais Notícias de Cotidiano
23/08/2019 14:33 PC prende suspeitos de roubo e receptação de celular em Tobias Barreto
Outro suspeito foi preso por receptação de celulares roubados
23/08/2019 14:05 Veículos adaptados são entregues para Centros de Reabilitação
Vans serão utilizadas para transporte de pacientes que se deslocam para os tratamentos
23/08/2019 11:50 Suspeito morto no Santos Dumont era acusado de tráfico e roubo
O homem morreu em confronto após praticar uma tentativa de homicídio
23/08/2019 11:19 Falta de planejamento estrutural pode ser a grande causa de enchentes
Especialistas defendem na Alese proposta de macrodrenagem para solução do problema
23/08/2019 10:50 Prédio da Procuradoria Geral do Estado é fechado após desabamento
Parte do teto cedeu e estrutura deve passar por nova vistoria antes do reparo