Tá calor: veja dicas importantes de como cuidar do seu pet durante o verão | Coluna de Estimação | F5 News - Sergipe Atualizado

Tá calor: veja dicas importantes de como cuidar do seu pet durante o verão
Blogs e Colunas | Coluna de Estimação 22/01/2022 17h14 - Atualizado em 23/01/2022 08h11

Com os dias ensolarados o verão é, geralmente, reservado para férias, tempo de praia e muita diversão, mas assim como os humanos, seja dentro de casa ou durante o passeio, os animais também sofrem com temperaturas elevadas, que podem causar riscos à saúde deles, e por isso, merecem atenção redobrada. Na estação mais quente do ano é importante ter cuidados com a hidratação de cães e gatos, por exemplo, e estar atento aos sinais de desconforto térmico como respiração ofegante, salivação excessiva, fraqueza ou mudanças de comportamento. Por isso, confira dicas para amenizar o calorão e lembre-se: ao primeiro sinal no pet ou dúvida procure sempre um médico veterinário de sua confiança.

Hidrate seu pet – Beber água nunca é demais, o líquido é responsável pelo bom funcionamento do organismo, desenvolvimento físico e para as defesas contra doenças. Então, mantenha o pet hidratado, com água disponível todo o dia. Ofereça água sempre fresca e limpa, se possível colocando vários bebedouros pela casa ou em recipiente grande. “Pode por ainda cubinhos de gelo, o que deixa a água mais fresquinha”, orienta a veterinária e nutróloga Juliene Oliveira. Fontes de água também é uma opção para estimular o consumo. Se for sair com seu pet, leve a garrafinha de água para oferecê-los. Água de coco também pode ajudar na hidratação.

 Proteja-o do sol – O filtro solar não só ajuda a diminuir a incidência de queimaduras e dermatites na pele do seu pet, como também previne doenças graves como o câncer de pele. Veterinários orientam o uso do protetor solar em cães e gatos, principalmente em animais de pelo curto e de pelagem clara, inclusive, nas partes expostas ao sol, menos cobertas por pelos, como ponta de orelha, barriga e nariz. “Existem alguns filtros solares veterinários, então é necessário ver a formulação com o profissional se for manipulado, senão existem alguns prontos que podem ser encontrados na internet”, explica a veterinária.

Não deixe em locais abafados e evite ambientes quentes – Evite deixar cães e gatos em ambientes quentes e abafados, ou seja, sem ventilação. Se é ruim para os humanos, imagine para os pets. Infelizmente, ainda é noticiado casos de animais, principalmente cães, deixados dentro de veículos e muitas vezes sob o sol, ou ainda em lugares fechados e apertados. Seja o motivo que for, nunca deixe o pet trancado dentro do carro, pois isso pode causar hipertemia e levá-los à óbito; mesmo que as janelas estejam levemente abertas ou que seja por poucos minutos, além de que isso pode caracterizar crime de maus-tratos. O local propício para deixá-los mais confortáveis deve ser limpo, arejado e com sombra, se possível com um ventilador disponível ou ainda existem tapetes gelados que podem amenizar o calor, disponíveis no mercado pet.

Fique atento ao horário de passeio – Tutores, atenção! Os passeios só devem ser feitos em temperatura amena. Passear com o pet quando o sol está escaldante é muito prejudicial, pois os coxins (a parte macia das patinhas) são sensíveis e a temperatura alta do chão pode causar leves lesões ou até queimaduras, além da respiração do pet ficar muito mais ofegante. Animais obesos, de pelos longos e os cães braquicefálicos – os de focinho achatado – são os que principalmente sofrem com as altas temperaturas. A recomendação é que os passeios sejam feitos antes das 10h ou após às 17h, por conta da incidência de raios solares ser menor. Antes de sair, verifique a temperatura - seja da calçada, areia ou asfalto - e prefira áreas sombreadas e com grama. Lembre-se de levar garrafas de água para oferecer durante o percurso e de fazer pausas necessárias para o descanso do pet. Nesses dias de calor, veterinários também recomendam evitar exercícios longos e reduzir a quantidade do tempo, e evitar focinheira já que o objeto pode atrapalhar a troca de temperatura dos cães, no entanto, se não houver outra opção o mais indicado são as mais compridas e as fabricadas com produto mais leve.

Crie rotina de banho e tosa – O banho também é importante, mas cuidado para não causar um choque térmico no pet. Segundo o médico veterinário bolsista do Programa de Aprimoramento Profissional em Clínica Médica de Pequenos Animais no Hospital Veterinário do Centro Universitário Ages, Bruno Santos Andrade, “O ideal é que sejam feitos banhos semanais ou a cada 15 dias. A tosa também é indicada para amenizar os efeitos do verão, sobretudo em animais de pelos longos ou de pelagem escura que absorvem mais calor”, ensina. A veterinária Juliene Oliveira, explica que os pelos também são responsáveis por regular a temperatura, protege do calor excessivo e, por isso, a recomendação não é tosar 100% mas sim apará-los, principalmente os que possuem pelos longos como os das raças shih-tzu, yorkshire e lhasa apso.

Dê alimentação leve e petiscos refrescantes – A nutróloga, Juliene Oliveira explica que neste calor também é importante dar ao pet de preferência alimentações leves balanceadas, conforme orientação veterinária, e se for o caso do pet comer somente ração ter sempre água disponível. Algumas frutas ricas em água e que são permitidas para pets também auxiliam na hidratação, mas devem ser oferecidas com cautela e sob orientação do veterinário. Uma boa dica são os petiscos gelados de frutas como melancia, melão, banana e mamão para fazer em casa, “lembrando que deve oferecer sempre com moderação, com cautela, pois alguns pacientes são bem sensíveis", ressalta. Uma das receitas desses petiscos refrescantes é a do Picolé de Fruta: 250 mls de água mineral ou água de coco, misture com 80 gramas de alguma fruta permitida para pets (melância, mamão, manga, banana, maçã) e bata no liquidificador; Coloque em uma forma de gelo e leve ao congelador; Assim que estiver pronto pode oferecer ao seu pet. Outra receita é a do Cubinhos de Carne ou Frango congelados: só fazer cubinhos congelados com o caldo da carne ou frango cozidos (sem nenhum tempero). Se desejar pode colocar alguns pedacinhos da proteína para congelar junto também.

Além desses cuidados com o calor no verão, é necessário que todas as vacinas do seu pet estejam em dia, já que há um aumento de incidência de doenças virais, como a cinomose, nesta época do ano. Neste período, é importante ainda se atentar e prevenir contra as doenças que são transmitidas por ectoparasitas, como pulgas e carrapatos, como também o aumento na incidência de mosquitos transmissores das doenças chamadas dirofilariose e a leishmaniose. Por isso, proteção redobrada. “Desse modo, se você é dono de pet, procure um veterinário de sua confiança e mantenha a vermifugação do seu animal sempre em dia. Em cães deve ser dada atenção especial a dirofilariose ou ‘verme do coração’, que é transmitido por um mosquito vetor, que adora as altas temperaturas e a umidade do verão para se reproduzir, por isso o uso de repelentes é primordial”, destaca o veterinário Bruno Andrade.

*Com informações de Assessoria de Comunicação - Ages

Mais Notícias de Coluna de Estimação
Reprodução/Instagram
12/04/2022  20h00 Adote um gatinho! Instituto divulga felinos para adoção em Aracaju
Chai e Belle (Reprodução/Instagram)
26/03/2022  11h00 Mulher gasta R$ 126 mil para clonar gato: “Idênticos nas fotos”
19/03/2022  09h17

Vivo amplia ações pet friendly e chega a mais de 180 lojas com espaço para animais de estimação

Veterinário ensina dicas para tranquilizar os animais durante a queima de fogos
30/12/2021  17h43 Veterinário ensina dicas para tranquilizar os animais durante a queima de fogos
Foto: reprodução Google
06/12/2021  14h09 Google lança recurso para descobrir obra de arte parecida com seu pet

Blogs e Colunas
Coluna de Estimação
Coluna de Estimação

Fernanda Araújo é formada em Comunicação Social – Jornalismo pela UNIT, pós-graduada em MBA Marketing, Assessoria e Comunicação Integrada pela FANESE. Já trabalhou como assessora de comunicação em sindicato de classe, e atualmente, é repórter no Portal F5 News. Premiada em primeiro lugar no Prêmio João Ribeiro de Divulgação Científica da Fapitec, na categoria web jornalismo, em 2018.

E-mail: fernandaaraujo.jornalismo@gmail.com

O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.