As mulheres no Agro | Haroldo Araújo Filho | F5 News - Sergipe Atualizado

As mulheres no Agro
Tudo começou com elas. Competência e oportunidades na atualidade
Blogs e Colunas | Haroldo Araújo Filho 09/08/2021 08h30 - Atualizado em 23/08/2021 15h08

Há mais de 10 mil anos, enquanto os homens saiam para caçar, as mulheres coletavam cereais selvagens quando perceberam que os grãos descartados germinavam e formavam novas plantas.

A observação desse fenômeno, associada ao aprimoramento de técnicas rudimentares, foi chamada de Revolução Agrícola, considerada a maior revolução da História, responsável por formar a base organizacional da humanidade que conhecemos hoje.

Por isso é imperioso afirmar que a agricultura começou com elas.

Nos últimos tempos, a mulher tem conquistado cada vez mais espaço em todos os segmentos da sociedade, não diferente no agronegócio.

Apesar da desigualdade, é pacificado por diversos estudos que ocorre uma significativa mudança no cenário rural, onde a mulher cada vez mais passa a ter maior representatividade e protagonismo.

Nesse diapasão, segundo o Censo Agropecuário do IBGE de 2006, apenas 12% dos estabelecimentos rurais do país eram dirigidos por mulheres; já o último censo, de 2017, identificou que esse número aumentou para 20%. Em Sergipe, esse índice, conforme mesmo censo, é de 23% dos empreendimentos chefiados por elas.

 

Uma interessante pesquisa da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG/2017) traçou o perfil dessas produtoras: 75,6% atuam em pequenas propriedades; 13,5% em médias propriedades e 10,9% em grandes propriedades. E ainda, 73% atuam dentro da propriedade; 3,7% trabalham em cooperativas; 3,4% no setor de insumos agrícolas e 9,3% em outras atividades relacionadas.

Tais números demonstram o papel fundamental que as mulheres rurais desempenham no setor agrícola do país, além de demostrar que o fato do trabalho rural estar associado à força braçal não é um impedimento para o envolvimento dessas produtoras.

Não é por menos que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento é chefiado competentemente por uma Engenheira Agrônoma e produtora rural, Tereza Cristina.

Em Sergipe, idealizado pela engenheira agrônoma Camila Xavier, um grupo de cerca de cem engenheiras agrônomas, zootecnistas, veterinárias e produtoras rurais, intitulado “Mulheres sergipanas no agro”, tem se destacado por fomentar o engajamento e o reconhecimento do valor das mulheres no Agro sergipano.

Através dos exemplos profissionais e produtivos de suas participantes, o grupo demonstra que não há rótulos que definam o limite de suas atuações no campo.

Desse modo, pelo fato do mundo rural ser predominantemente liderados por homens, reconhecer o valor e incentivar o protagonismo da mulher no setor agrícola não é transformá-la em um gênero superior, ou mesmo resumir oportunistamente a uma bandeira político-ideológica, mas simplesmente não permitir que, por ser mulher, seja considerada inferior na competência e no acesso a oportunidades.

Mais Notícias de Haroldo Araújo Filho
O uso ilegal da Cama de Frango
04/10/2021  08h32 O uso ilegal da Cama de Frango
Histórias do Agro Sergipano (Capítulo IV)
20/09/2021  07h42 Histórias do Agro Sergipano (Capítulo IV)
Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR)
06/09/2021  08h34 Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR)
Histórias do Agro Sergipano (Capítulo III)
23/08/2021  07h47 Histórias do Agro Sergipano (Capítulo III)
O Homem e o Cavalo
19/07/2021  09h14 O Homem e o Cavalo

Blogs e Colunas
Haroldo Araújo Filho
Haroldo Araújo Filho

Engenheiro Agrônomo do Incra/Ministério da Agricultura, formado pela Universidade Federal de Sergipe, pós-graduado em Irrigação (UFS). Secretário de agricultura de Riachão do Dantas (2005-2007); Superintendente regional do Incra em Sergipe ( 2016-2017); Delegado da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário em Sergipe (2017). Antes de ingressar no serviço público atuou em empresas comerciais do ramo agropecuário.

E-mail: hafaraujo@yahoo.com.br

O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.