Sergipe, uma mina de Fertilizantes | Haroldo Araújo Filho | F5 News - Sergipe Atualizado

Sergipe, uma mina de Fertilizantes
Lei do Gás, Plano Nacional de Fertilizantes e Polo de Fertilizantes de Sergipe
Blogs e Colunas | Haroldo Araújo Filho 24/05/2021 10h35 - Atualizado em 24/05/2021 15h06

Dentre as tecnologias usadas na moderna agricultura, a utilização de fertilizantes possui destaque, sem ela não teríamos alcançado os níveis de produtividade dos últimos tempos.

Mas, inicialmente, é importante entender o porquê da indispensável utilização de fertilizantes na agricultura.

Simploriamente, podemos definir fertilidade do solo como sendo o potencial que este tem de fornecer elementos essenciais às plantas. E para que seja considerado de boa fertilidade é necessário que os elementos estejam equilibrados em quantidade e em proporção.

Quando não se tem equilíbrio químico na solução do solo, há a possibilidade de correção via fornecimento de Fertilizantes, também chamados de adubos. O simples fornecimento desses elementos é considerado uma das maiores revoluções da agricultura moderna. Afinal, onde antes não se conseguia cultivar quase nada, hoje não só se cultiva como se consegue obter altos índices de produtividade.

Os elementos químicos indispensáveis ao pleno desenvolvimento das plantas são classificados em função da quantidade necessária, ou seja, os macronutrientes, em elevadas quantidades, e micronutrientes em quantidades pequenas.

Os macronutrientes mais importantes são: o Nitrogênio (N), Fósforo (P) e Potássio (K), os quais são conhecidos pela sigla NPK, nos diversos formulados de adubos.

Até aqui o leitor deve estar se perguntando, o que Sergipe tem a ver com isso?

Com muito contentamento explicamos.

Sergipe possui uma das maiores unidades produtoras de adubos nitrogenados do Brasil, localizada em Laranjeiras (antiga FAFEN, atual Unigel). Sendo o gás natural sua matéria prima de maior necessidade e com advento da nova lei do gás, relatada competentemente pelo deputado federal Laércio Oliveira, espera-se ter maiores volumes ofertados e preços mais competitivos. 

Além disso, temos as maiores reservas de Potássio do Brasil, das quais, a Mosaic Fertlizantes (antiga Vale), localizada em Rosário do Catete, extrai o Cloreto de Potássio.

Ou seja, dos três elementos mais importantes (NPK), somos um dos maiores produtores em um deles (N) e o maior em um outro (K).

Desta forma, torna-se fácil explicar o porquê, segundo o MAPA, Sergipe possui, além das duas já citadas, mais oito plantas industriais/misturadoras, onde juntas possuem capacidade de produzir anualmente mais de 4 milhões de toneladas de fertilizantes, atendendo não somente o mercado sergipano, mas também vários outros estados do país.

Vislumbrando potencializar ainda mais essa vocação econômica, o governo do Estado de Sergipe, através da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia (Sedetec), tem participado da elaboração do Plano Nacional de Fertilizantes, coordenado pela Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos do governo federal, em conjunto com seis Ministérios. O objetivo é tornar o Brasil menos dependente de importação desses produtos, já que, atualmente, a agricultura brasileira importa 80% dos fertilizantes consumidos.  

Desse modo, conforme notícias recentes, o Estado de Sergipe prepara-se para lançar um fundo de investimento da ordem de R$ 10 bilhões, com o intuito de se transformar em um grande Polo de Fertilizantes no país.

Por fim, o aumento da demanda brasileira por fertilizantes; a necessidade de uma menor dependência externa; a presença abundante de adubos nitrogenados e potássicos; os benefícios da nova Lei do Gás e infraestrutura porto-rodoviária, podem transformar o menor estado da federação no maior polo de fertilizantes do Brasil, gerando emprego e renda para o povo sergipano. Assim seja!

Leia também:

Sergipe participa do desenvolvimento do Plano Nacional de Fertilizantes

Sergipe poderá receber novo Polo de Fertilizantes para atender o Nordeste

Mais Notícias de Haroldo Araújo Filho
O uso ilegal da Cama de Frango
04/10/2021  08h32 O uso ilegal da Cama de Frango
Histórias do Agro Sergipano (Capítulo IV)
20/09/2021  07h42 Histórias do Agro Sergipano (Capítulo IV)
Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR)
06/09/2021  08h34 Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR)
Histórias do Agro Sergipano (Capítulo III)
23/08/2021  07h47 Histórias do Agro Sergipano (Capítulo III)
As mulheres no Agro
09/08/2021  08h30 As mulheres no Agro

Blogs e Colunas
Haroldo Araújo Filho
Haroldo Araújo Filho

Engenheiro Agrônomo do Incra/Ministério da Agricultura, formado pela Universidade Federal de Sergipe, pós-graduado em Irrigação (UFS). Secretário de agricultura de Riachão do Dantas (2005-2007); Superintendente regional do Incra em Sergipe ( 2016-2017); Delegado da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário em Sergipe (2017). Antes de ingressar no serviço público atuou em empresas comerciais do ramo agropecuário.

E-mail: hafaraujo@yahoo.com.br

O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.