"A cidade tem na memória as ações que Lula, Déda e o PT fizeram", diz Márcio Macedo
Blogs e Colunas | Joedson Telles 02/08/2020 11h32

Ex-deputado federal, o pré-candidato à Prefeitura de Aracaju pelo PT, Márcio Macedo, se diz pronto para resgatar o legado do saudoso Marcelo Déda, primeiro prefeito petista de Aracaju. Márcio acredita que o PT tem como prioridade cuidar das pessoas, e aposta também no peso político do ex-presidente Lula para que o projeto tenha êxito. "Lula é querido por uma parcela muito grande do povo de Aracaju. A cidade tem na memória as ações que Lula, Déda e o PT fizeram", diz Márcio Macedo, nesta entrevista, Márcio ainda resume quais seriam as prioridades de uma possível gestão petista, dá a sua versão para o rompimento da aliança histórica entre o PT e o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) e sentencia que o presidente Jair Bolsonaro não tem nenhuma moral para falar de corrupção. "Está caladinho com a volta às manchetes do seu operador Queiroz. Não consegue justificar o patrimônio da sua família, ao longo do período que está na política, seus filhos estão atolados na lama até a cabeça", diz 

O que Aracaju pode esperar do PT, nas eleições deste ano?

Uma campanha pautada no resgate do nosso legado, no debate de ideias e de propostas reais para a cidade. A candidatura própria é fruto da necessidade de dialogarmos com a população sobre temas que são caros à coletividade e que se alinham com o desenvolvimento sustentável e inclusão social. Pra atingir esse objetivo, estamos elaborando um programa de governo alicerçado nessa pauta, mas colaborativo na origem, uma vez que as diretrizes dele irão para uma plataforma colaborativa, e será nossa ferramenta de conversa com as diversas comunidades da cidade. Nosso projeto tem base na unidade. Na junção de várias mãos. Venho me preparando, ao longo da vida, para isso. Analisando cada etapa com cautela e aguardando o momento certo. E ele chegou. Então, os aracajuanos podem esperar coragem, garra, comprometimento com o diálogo e transparência em toda e qualquer ação.

Quais seriam as prioridades de uma nova gestão do PT à frete da Prefeitura de Aracaju?

O projeto que estamos construindo para discutir com povo de Aracaju tem como eixo central uma cidade solidária e inclusiva. Tem como prioridade cuidar das pessoas. É alicerçado nos legados de Déda e de Lula. Temos como prioridade resolver os problemas da Saúde, da Educação, gerar emprego e renda, proteger os cidadãos mais vulneráveis e apoiar a micro e pequena empresa. Vamos fazer a licitação do transporte coletivo, com o objetivo de melhorar a mobilidade urbana. Faremos, também, a revisão do plano diretor para que a cidade cresça de forma ordenada e com intervenções de infraestrutura e de obras que considerem as visões modernas de urbanismo, direito à cidade e sustentabilidade. Vamos, ainda, reestruturar a Saúde de Aracaju com o foco na atenção básica. Retomar e reorganizar o programa de saúde da família, ampliando o número de equipes e unidades básicas de saúde da família. Melhorar o atendimento e equipar os hospitais da Zona Norte, Nestor Piva, e o da Zona Sul, Fernando Franco, dotando de laboratórios, raio x digital e equipe de profissionais de saúde completa. Voltar o acompanhamento domiciliar a diabéticos, hipertensos, crianças de 0 a 1 ano. Além de estabelecer o centro de especialidades odontológicas e saúde bucal, para atender a população de baixa renda. E vamos fazer a licitação da limpeza pública. É necessário acabar com essa mesmice e ter uma intervenção no ciclo completo do lixo, desde o acondicionamento adequado, a coleta seletiva, um transporte eficiente e a destinação final segura para as pessoas e para o meio ambiente. Além de apoiar a cadeia produtiva da reciclagem do lixo.

O PT está conversando com quais partidos para a construção de uma aliança política, visando fortalecer a sua pré-candidatura?

O PT tem conversado com vários partidos, se avançar no entendimento político, no momento em que a legislação permitir, faremos alianças pautadas num projeto moderno e transformador para a cidade.

Qual a maior dificuldade, hoje, para conseguir adesão ao projeto do PT para Aracaju?

Não temos tido nenhuma dificuldade de adesão ao projeto da nossa pré-candidatura. Ela vem alicerçada no legado de Déda que minha história, conduta ética e realizações por onde passei, representa nessa eleição, no projeto político do PT e de Lula, na unidade do partido e num projeto para uma cidade inclusiva, solidária, que tem como centro cuidar das pessoas.

O ex-presidente Lula estará em Aracaju, no momento permitido pela legislação eleitoral, dando apoio à sua pré-candidatura? Qual o nível de comprometimento esperado?

Sim. Um comprometimento total. Assim que as autoridades sanitárias permitirem, o Lula virá a Aracaju e, quando a legislação permitir, irá, sim, pedir voto para mim. A minha candidatura é prioridade do PT nacional e do PT em Sergipe. Todos sabem da minha relação de confiança e de amizade com o presidente Lula. Já circula um vídeo de Lula nas redes sociais falando da importância da minha pré-candidatura.

Qual o peso de Lula para o êxito do projeto petista para a capital, na sua opinião?

Lula é querido por uma parcela muito grande do povo de Aracaju. A cidade tem na memória as ações que Lula, Déda e o PT fizeram. Sabe que podemos fazer ainda mais e melhor. Portanto, esses conjuntos de variáveis terão peso na eleição. Além disso, todos nós sabem que o presidente Lula sabe dos sonhos do povo e sempre lutou por isso. Lula trouxe o desenvolvimento e a ascensão para o Brasil e nos colocou como ator internacional com grande influência mundial. E isso também refletiu em Aracaju, com diversas ações e obras voltadas às pessoas carentes da capital. A aceitação de Lula, aqui, é enorme. Sobretudo nos bairros populares, onde tem obras dele, onde famílias conseguiram sair do aluguel, graças ao “Minha Casa, Minha Vida”, onde famílias voltaram a ter todas as refeições do dia, com o “Bolsa Família”. Então, em Aracaju, por onde você passar, tem a mão de Lula. Tem seu registro de amor pelo povo.

O senhor tem sido um crítico da gestão Edvaldo Nogueira. O fato de o PT ter ajudado Edvaldo a se eleger, ter sido aliado dele por muitos anos e, até ter feito parte da atual gestão dele, tendo, inclusive, Eliane Aquino como vice-prefeita não dificulta o eleitor assimilar o discurso petista?

Não acho que dificulta. O PT continua onde sempre esteve, ao lado do povo. Edvaldo é que fez uma opção política e mudou de lado. Edvaldo se entregou à direita e faz uma administração conservadora, incapaz de colocar o povo no orçamento da Prefeitura e nas prioridades das políticas públicas. O PT foi decisivo nas eleições que Edvaldo ganhou para Prefeitura de Aracaju. Porém, ele se distanciou do projeto original de Déda. Acabou com a participação popular, com o orçamento e o planejamento participativo, esvaziou os mecanismos de controle social e de transparência pública. Aprofundou o desmonte do projeto de saúde, iniciado no governo anterior ao dele. Reproduz um modelo de execução de obras sem levar em consideração o meio ambiente e os conceitos modernos de urbanismo, a exemplo das recorrentes enchentes que ocorrem na cidade. Não tem um programa de transferência de renda, como o Renda Básica, para os mais pobres. Não cuida das pessoas.

Há quem diga que a proximidade que o senhor tinha com o saudoso Marcelo Déda lhe cria algum tipo de problema interno no PT. Há "ciúmes", chamemos assim. Como avalia isso?

Não está acontecendo isso. O PT em Sergipe vive um momento muito bom, de unidade interna e de clareza da prioridade que é ganharmos a eleição em Aracaju. Déda é e sempre será uma referência para todos nós, está presente no coração do povo de Aracaju e de Sergipe. Eu tenho muito orgulho e agradeço a Deus por ter feito política ao seu lado durante todos esses anos.

Os números da última pesquisa Dataform sobre a intenção de voto em Aracaju geraram muita polêmica. Como o senhor avalia isso?

Eu não costumo nem comemorar pesquisas quando elas são favoráveis, nem reclamar quando elas não são favoráveis. As pesquisas, quando são sérias, retratam um momento político e consistem em instrumentos importantes de definição de tática e de estratégia para aquele momento político específico da pré-campanha ou da campanha. Sergipe e Aracaju estão repletos de exemplos de casos em que as pesquisas não refletiram o resultado da eleição. O processo eleitoral só está começando, vamos à pré-campanha e depois à campanha. O futuro mostrará inexoravelmente a verdade na eleição.

O então candidato Jair Bolsonaro venceu a eleição com o discurso que o PT é corrupto. O senhor acha que isso pode pesar negativamente também nas eleições de Aracaju?

Primeiro, Bolsonaro não tem nenhuma moral para falar de corrupção. Está caladinho com a volta às manchetes do seu operador Queiroz. Não consegue justificar o patrimônio da sua família, ao longo do período que está na política, seus filhos estão atolados na lama até a cabeça. Segundo, a "Vaza Jato" mostrou ao Brasil a armação que foi feita com o PT. A cada dia isso fica mais evidente. O PT em Sergipe sempre foi democrático, amplo, ético e suas gestões são exemplos de lisura e competência com os recursos públicos. Outro ponto importante é que o aracajuano não votou em Bolsonaro. Nas últimas eleições, o companheiro Fernando Haddad venceu aqui na capital. Prova de todo esforço e de trabalhos reais do PT em favor do povo. Então, para mim, não existe nenhum peso negativo nesse discurso do Bolsonaro. De forma alguma. Bolsonaro usou esse discurso para tentar macular tudo que o PT fez pelo povo pobre, pelas pessoas vulneráveis. Tentou aniquilar a nossa história com fake news, discursos de ódio, opressão. Se baseou na segregação, em um discurso mentiroso. Mas, no poder, tem demonstrado quem, realmente, é. cruel com o povo. Ele causa o caos. Não pensa no povo, nos mais necessitados. O aracajuano sabe da história de cada um. Sabe quem ama e sabe, realmente, das necessidades de cada um. Sabe quem olha, tanto de maneira ampla quanto individualmente, para aquilo que o povo quer. Enquanto Bolsonaro vem com mentiras, nós temos história e ações.

Mais Notícias de Joedson Telles
André faz balanço da passagem pelo Rio e explica porque entregou o cargo
20/09/2020  19h25 André faz balanço da passagem pelo Rio e explica porque entregou o cargo
Obras, realizações guiarão o voto para prefeito de Aracaju, avalia Heleno Silva
14/09/2020  19h03 Obras, realizações guiarão o voto para prefeito de Aracaju, avalia Heleno Silva
07/09/2020  08h32 "Ser processado enquanto gestor é inevitável", afirma Valmir
Mendonça teme que políticos transmitam o coronavírus para o eleitor
30/08/2020  08h37 Mendonça teme que políticos transmitam o coronavírus para o eleitor
23/08/2020  10h11 "Essa coligação com Eduardo, Edivan, Valadares é o novo", diz JB

Blogs e Colunas
Joedson Telles
Joedson Telles

Joedson Telles é um jornalista sergipano formado pela Universidade Federal de Sergipe e especializado em política. Exerceu a função de repórter nos jornais Cinform, Correio de Sergipe e Jornal da Cidade. Fundou e edita, há nove anos, o site Universo Político e é colunista político do site F5 News.

E-mail: joedsontelles@gmail.com

O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.