Trabalho de Hilda Ribeiro motiva Fake News e desespero dos Reis
Blogs e Colunas | Joedson Telles 27/10/2019 09h53

O deputado federal Gustinho Ribeiro (Solidariedade) afirma, nesta entrevista, que a família Reis, adversária política dele e da sua aliada, a prefeita de Lagarto, Hilda Ribeiro, apostou no caos do município, mas, com o trabalho de Hilda, a gestão é justamente o contrário. "A prefeita tem crescido de forma fenomenal na opinião popular. A gestão tem mais de 75% de aprovação e isso causou desespero e  revolta dos nosso adversários, principalmente da família Reis", diz Gustinho. "Achavam que quando o prefeito foi preso e uma pessoa nova assumiu o comando do município, já estavam com a eleição garantida, por isso os ataques e as agressões, as Fake News que eles espalham diariamente." O deputado enfatiza ainda que, a última gestão do grupo dos Reis foi do prefeito Lila Fraga, quando professores ficaram quatro meses sem receber salários. "Além de tudo, tem a pauta da corrupção. O ex-prefeito Jerônimo Reis foi cassado, o ex-deputado Sérgio Reis ficou inelegível. Inclusive, o Ministério Público, na época, pediu a prisão do próprio Sérgio Reis. É um modelo político que a sociedade lagartense não apoia mais". 

Como tem sido a experiência no exercício do mandato de deputado federal?

Minha experiência com o Poder Legislativo vem desde a Câmara de Vereadores de Lagarto até os dois mandatos de deputado estadual. Durante o período exercendo a liderança do governo Marcelo Déda, na Assembleia Legislativa, eu garanti uma certa intimidade com o parlamento. Isso facilitou a minha chegada à Câmara dos Deputados. Logo na minha chegada lá, eu recebi o convite para coordenar a campanha do presidente Rodrigo Maia à reeleição, e isso também me ajudou a construir boas relações lá em Brasília. Isso acaba ajudando a gente viabilizar investimentos para o nosso estado. Os primeiros meses, lá em Brasília, eu posso considerar muito positivos quando eu vejo a nossa intimidade com o parlamento. Claro que o Congresso tem as suas peculiaridades. É muito diferente da Assembleia Legislativa. É outra dinâmica, até pelo número de deputados. De modo geral, eu posso resumir que eu estou me adaptando muito bem.

Em termos de Sergipe, o que já foi possível fazer, neste primeiro ano?

Para o estado de Sergipe, a gente tem um trabalho que eu considero muito positivo. Nós já viabilizamos mais de R$ 63 milhões, em apenas oito meses de mandato. Só para a saúde de Aracaju, destinamos agora R$ 5 milhões. Esse número é das minhas emendas individuais, as emendas de bancada e recursos extra orçamentários.

Umas das suas principais bandeiras, no momento, é levar um Hospital do Câncer para Lagarto?

Exatamente. Além desses recursos que conseguimos para o estado, eu estive com o presidente do Hospital do Câncer de Barretos, doutor Henrique Prata, e surgiu a ideia da gente trazer para o interior de Sergipe uma unidade do Hospital do Amor. Henrique Prata decidiu fazer em Lagarto e, imediatamente, fomos buscar o apoio de toda a bancada sergipana, que, de pronto, apoiou essa grande obra. Tudo indica que, no próximo ano, já teremos o início construção desse hospital em Lagarto. Uma emenda de mais de R$ 100 milhões. A causa é tão nobre que nenhum parlamentar se posicionou contrário. Todos apoiaram imediatamente. Assim que começamos a entrar em contato com os parlamentares quem estava me acompanhando era o Juquinha Carvalho, que é um militante político envolvido com o Hospital do Câncer de Barretos. Eu pedi, inclusive, para que ele entrasse em contato com o deputado federal Fábio Reis, para que não ficasse parecendo que era nada político eleitoral. Na verdade, é um projeto para o estado de Sergipe. Avistamos o estado como o polo, no Brasil, no tratamento oncológico. Vamos ter no estado um hospital que é referência mundial no tratamento do câncer. Essa é uma obra que é de todos os sergipanos. Sem a participação de todos os parlamentares essa obra não poderia se tornar realidade.

Um dos principais temas debatidos, este ano, é a Reforma da Previdência. Como avalia o texto aprovado na Câmara dos Deputados que seguiu para o Senado?

Os partidos que compõem a Frente Democrática do Congresso Nacional fizeram praticamente um novo texto. Um texto diferente daquele que o governo mandou. Nós tiramos o BPC, a questão da aposentadoria rural, a capitalização, protegemos os professores e as mulheres. Nós alteramos o texto que o Governo Federal enviou para o Congresso e trabalhamos para a aprovação da nova Previdência. A gente entendeu que o país necessitava, de forma urgente, desta reforma na Previdência Nacional porque da forma que estava, o pais já estava entrando e colapso econômico e fiscal. Para citar um exemplo, Sergipe tem um déficit previdenciário de R$ 100 milhões por mês. Isso dá R$ 1, 2 bilhão por ano. É insustentável essa situação - e por isso que nós resolvemos aprovar a nova previdência. A prova disso é que índices econômicos começaram a melhorar no país, a geração de empregos formais, e tudo isso é fruto do início dessa reforma. Eu tenho dito que o atual Congresso é reformista. Ele tem essa disposição para fazer as reformas necessárias que o país tanto precisa.

Como avalia o atual cenário da política de Sergipe?

O cenário político de Sergipe está muito indefinido. Tivemos, na última eleição, o encerramento do ciclo de grandes lideranças históricas no estado, e, a partir deste ano, o cenário político partidário do nosso estado fica muito indefinido. É um ambiente muito propício para o surgimento de novas lideranças, de novos nomes que já estão militando na política e outros que ainda não militam, mas desejam ingressar na vida pública. Eu acho que é um ambiente propício para o surgimento de novas lideranças. Temos alguns nomes que já estão há algum temo na política, mas que ainda exercem o protagonismo, a exemplo do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, que, na minha opinião, está fazendo um excelente trabalho e é um nome que desponta com um certo protagonismo. A prova disso é a força política que ele começa a demonstrar para a disputa em 2020.

Edvaldo favorito para ganhar a próxima eleição?

Eu acredito que Edvaldo é favorito para vencer a próxima eleição, tendo em vista a desarticulação das forças de oposição e da consolidação da gestão dele. Edvaldo Nogueira está mostrando resultado. A sua gestão está reorganizando a cidade de Aracaju, após uma gestão do ex-governador e ex-prefeito, João Alves. Edvaldo Nogueira vem reconstruindo a nossa capital e, naturalmente, o nome dele aparece como favorito pra a próxima eleição. O Solidariedade estará no palanque de Edvaldo Nogueira. Inclusive, o Solidariedade compõe a administração do prefeito com a Secretaria de Turismo, que é uma indicação do nosso partido. O meu mandato está sempre à disposição do povo de Aracaju e da gestão do prefeito Edvaldo Nogueira. Indicamos agora R$ 5 milhões para o custeio da saúde de Aracaju.

Como avalia a gestão da prefeita Hilda Ribeiro e essas críticas duras que a oposição vem fazendo?

Críticas são totalmente naturais. A gente conhece a forma agressiva que os nossos adversários, a família Reis, fazem política. Não seria normal se eles estivessem elogiando a gestão da prefeita Hilda, que, em apenas oito meses de trabalho, começa a reorganizar o município de Lagarto. Os servidores recebem seus salários de forma antecipada. Hilda faz o maior investimento de infraestrutura da história do município de Lagarto, com R$ 16 milhões já disponíveis para pavimentação asfáltica, e as obras já iniciaram. Era um município que enfrentava um grave problema de infraestrutura com as ruas todas destruídas. A prefeita Hilda está realizando esse grande investimento. A questão da saúde, a falta de medicamentos era constante nos postos e isso acabou. Hoje, as pessoas encontram nas unidades de saúde do município atendimento humanizado, profissionais bem treinados, medicamentos, além de diversas ações de promoção à saúde que o município está realizando. Se a gente for para a educação, o maior reajuste da história do município para os professores. Ela dobrou o piso salarial. O reajuste era de 4% e a prefeita concedeu 8%. Além disso, iniciou agora o Programa Escola Linda, que é a reforma de todas as escolas do município. Se você vier até Lagarto verá que todas as escolas precisam de manutenção. Praticamente 100% das unidades escolares de Lagarto estão em péssimas condições e a prefeita já iniciou a reforma das escolas. Se você olhar para a questão cultural e de lazer, a prefeita Hilda realizou os maiores avanços já vistos no município, a exemplo dos festejos juninos, que foram um dos maiores do Nordeste. Foi maior até que o próprio Forró Caju, na capital. A prefeita realizou o aniversário da cidade, com grandes eventos. A Secretaria de Agricultura de Lagarto praticamente só existia no nome e 52% da população vive na zona rural. A economia do nosso município pulsa na zona rural. A prefeita está fazendo o maior investimento na zona rural da história de Lagarto. Equipamentos, tratores, acompanhamento com assistência técnica para os agricultores, investimentos nas estradas pra facilitar o escoamento da produção dos pequenos e médios agricultores. É, na verdade, um novo momento que a cidade de Lagarto vive. Tudo isso está causando um incômodo muito grande nos nossos adversários que achavam que pelo fato de a prefeita Hilda nunca ter assumido um cargo público, a gestão de Lagartos seria um caos.

Os Reis apostaram no caos de Lagarto?

Eles estavam torcendo para que o caos se instalasse, mas o que está acontecendo é justamente o contrário. A prefeita tem crescido de forma fenomenal na opinião popular. As pesquisas de consumo interno e as que já foram divulgadas pela imprensa do nosso estado colocam Hilda como a líder na preferência popular. A gestão tem mais de 75% de aprovação e isso causou um certo desespero e uma certa revolta dos nosso adversários, principalmente da família Reis. Eles achavam que, com o problema que aconteceu em Lagarto, quando o prefeito foi preso, e uma pessoa nova assumiu o comando do município, eles já estavam com a eleição garantida. Na verdade, surgiu o fenômeno Hilda e tem deixado nossos adversários da família Reis totalmente desnorteados. Por isso os ataques e as agressões, as Fake News que eles espalham diariamente. O que nos entristece é saber que alguns setores da imprensa se prestam a divulgar essas Fake News sem sequer ouvir o outro lado. Mas, o que me tranquiliza também é que, no município, nos quatro cantos da cidade, a população tem apoiado essa nova política que o nosso grupo, através da prefeita Hilda, está implantando na cidade.

Quer dizer que a prefeita encontrou a prefeitura num estado de caos?

Não era pra menos. A prefeita Hilda assumiu a prefeitura num momento de crise política com o afastamento do ex-prefeito. Nenhum ser humano teria cabeça para governar um município passando o que o ex-prefeito Valmir Monteiro passou. É natural que a perfeita Hilda assumisse a prefeitura com diversos problemas. Ela decidiu trabalhar com uma equipe extremamente técnica e trabalhada para resolver esse problema. Qualquer cidadão de Sergipe pode vir a Lagarto e vai ver que as coisas estão acontecendo, que a cidade está se reorganizando. A cidade vive hoje um novo momento. As pessoas percebem que a cidade voltou a sua ordem. Além disso, a cidade começa a avançar. A prefeita está construindo a nova entrada da cidade. Uma obra de R$ 5 milhões que estavam perdidos em Brasília. A obra está a todo vapor. Acredito que, no máximo, em fevereiro a prefeita irá inaugurar essa obra que foi prometida por vários e vários prefeitos, mas ninguém nunca realizou. A principal praça da cidade estava vegetando há três anos. Uma obra que era para durar um ano. A prefeita Hilda, em oito meses, organizou e eu, em Brasília, consegui destravar os recursos para esta praça. Agora, em dezembro, a prefeitura entregará a praça para a população. São obras importantes para a cidade e durante esses exemplos você pode mensurar como o município de Lagarto está recebendo esse novo momento político que está acontecendo na cidade.

E a oposição, então, parte para divulgar Fake News?

Na verdade, o auge político da oposição passou. Quem não é de Lagarto pode até achar diferente, mas qualquer pessoa da cidade vai perceber que a fase da oposição passou. A população não quer mais voltar ao passado com o modelo administrativo que eles administraram. A marca registrada da família Reis é atraso de salário, uso da máquina pública em benefício próprio e gastos exagerados. Há uma marca negativa muito forte no município de Lagarto quando você fala da gestão da família Reis. A última gestão do grupo dos Reis foi do prefeito Lila Fraga, e a população recorda dessa administração. Os professores ficaram quatro meses sem receber salários e chegaram ao ponto de ir para os semáforos da cidade pedir ajuda às pessoas que passavam por essa imagem negativa é muito forte. Além de tudo, tem a pauta da corrupção que hoje é muito presente no país inteiro. A gente sabe que o ex-prefeito Jerônimo Reis foi cassado, o ex-deputado Sérgio Reis, que hoje se apresenta como pré-candidato a prefeito, ficou inelegível. Inclusive, o Ministério Público, na época, pediu a prisão do próprio Sérgio Reis. É um modelo político que a sociedade lagartense não apoia mais. A sociedade lagartense não quer em hipótese alguma voltar a um passado que nos leva a muita incompetência com a administração publica. É isso que tem deixado a oposição tão raivosa e radical. Hoje, a cidade vive um momento de harmonia, de paz, de progresso. As coisas estão acontecendo e a máquina pública começa a funcionar. O comércio hoje apoia a administração Hilda Ribeiro. Hoje, a cidade não pretende voltar à administração da família Reis.

A prefeita Hilda Ribeiro já está dialogando, visando construir alianças para fortalecer a pré-candidatura?

Neste momento, a prefeita está focada em administrar a cidade, e nosso grupo em viabilizar recursos, em Brasília, para ajudar a prefeita. Eu acho que definição de candidatura, só no próximo ano. Mas, lógico que com todo esse apoio que Hilda está tendo da população, com sua gestão tão bem avaliada, ela aparece como nome natural para o próximo ano. O trabalho da prefeita a credencia para a disputa do próximo ano. Mas, definição mesmo, só no momento certo e oportuno. O momento agora é focar no trabalho e resolver o problemas da cidade. Ao contrário dos nossos adversários. Fábio Reis lançou sua candidatura, há algum tempo, e, com o crescimento de Hilda, ele desistiu e agora Sérgio Reis se lançou candidato. Nossos adversários já fizeram campanha aberta, inclusive, fazendo reuniões. Isso só mostra o fortalecimento do nome da prefeita Hilda.

Descarta conversar com o ex-prefeito Valmir?

Logo que o ex-prefeito foi preso, eu mandei uma mensagem de solidariedade para o deputado Ibraim Monteiro e, infelizmente, ele me respondeu com agressividade, com xingamentos. De lá pra cá, não tivemos mais contato. Acompanho através da imprensa que, por vez ou outra, o próprio deputado Ibraim ataca nosso grupo. Eu acho que nosso foco, neste momento, é trabalhar para que Lagarto não volte a ter uma administração rejeitada pela população como era a da família Reis.

Como está a relação entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Lagarto?

Até agora, a relação tem sido muito boa. Claro que o governador, politicamente falando, tem o apoio dos nossos adversários. Eu não apoiei o governador Belivaldo na eleição. Apoiei outro candidato que não foi para o segundo turno. No segundo turno, eu fiquei mais em Brasília, acompanhando o presidente Rodrigo Maia na construção de sua pré-candidatura a eleição da Presidência da Câmara dos Deputados. Mas, a relação tem sido harmoniosa. Até o momento, não tivemos nenhum problema mais sério com a administração do município de Lagarto. Como deputado federal, eu tenho me colocado à disposição do Governo do Estado. Até o momento, eu não fui procurado por nenhum membro governo para solicitar meu apoio, Mas se procurar, se solicitar o meu apoio para o estado de Sergipe, eu estarei pronto para ajudar o estado.

 

Mais Notícias de Joedson Telles
18/11/2019  07h17

Como André Moura vem auxiliando Wilson Witzel a tirar o Rio de Janeiro do caos

10/11/2019  11h32

Mitidieri sobre o governo: “jamais seria candidato só por vaidade”

27/10/2019  09h53

Trabalho de Hilda Ribeiro motiva Fake News e desespero dos Reis

26/10/2019  10h36

Cassação de Belivaldo é ruim para Sergipe, avalia Milton Andrade

20/10/2019  09h16

"Grupo Novo" prepara candidato para disputar o Governo do Estado


Blogs e Colunas
Joedson Telles
Joedson Telles

Joedson Telles é um jornalista sergipano formado pela Universidade Federal de Sergipe e especializado em política. Exerceu a função de repórter nos jornais Cinform, Correio de Sergipe e Jornal da Cidade. Fundou e edita, há nove anos, o site Universo Político e é colunista político do site F5 News.

E-mail: joedsontelles@gmail.com

O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.