Mi Buenos Aires querido!
A crise econômica não apagou o charme de Buenos Aires, nem tirou dela a maior de suas qualidades, que é ser uma cidade destinada ao turismo
Blogs e Colunas | Passos Pelo Mundo 20/09/2020 08h00 - Atualizado em 25/09/2020 21h38

Se fosse para escolher apenas uma imagem de Buenos Aires, seguramente seria dos bares e cafés lotados a qualquer hora do dia. Esse hábito portenho serviu, inclusive, de inspiração para poetas, músicos e artistas. A relação dos argentinos com esses estabelecimentos é muito forte. Normalmente pontos de encontro favoritos para toda ocasião, seja antes ou depois do trabalho, do cinema ou da boate. Mesmo sozinhos, eles costumam passar horas sentados tomando um café acompanhados de um alfajor, um café e lendo um jornal ou um livro.

E como o turista adora viver a cultura local, tem que aproveitar para fazer esse programa, em especial no Café Tortoni, o mais antigo da Argentina. Fundado em 1858, tem uma decoração provençal, mesas de carvalho e mármore verde, vitrais iluminados e luminárias Tiffany’s. Em períodos de férias ou feriados prolongados, é comum ter filas em frente ao café, mas vale a pena esperar. Churros e outras guloseimas a base de doce de leite são imperdíveis nos cafés argentinos.

Além do doce de leite, outra grande paixão dos argentinos são as carnes. Apesar da semelhança no gosto por carne dos brasileiros, na Argentina existe uma forma diferente de prepará-las. A preferência nacional para assar a carne por lá é a parrilla, mas tem outros pratos tradicionais como os bifes de chorizo e ancho, costela, filé mignon, entre outros. 

É claro que seu prato deve ser acompanhado por vinho. A Argentina é uma das regiões com maior importância na vinicultura atual, o que fez com que se tornasse o quinto maior produtor de vinhos do mundo, além de ser a região vinícola de maior destaque e prestígio em toda a América do Sul. O país possui média de 210 mil hectares de vinhedos plantados, além de exportar 25% de toda a sua produção anual para o Velho Mundo. Destaque para as uvas Malbec e Cabernet Sauvignon.

Com tudo que já descrevi, deu para perceber que a crise econômica não apagou o charme de Buenos Aires, nem tirou dela a maior de suas qualidades, que é ser uma cidade destinada ao turismo. Há reflexos nítidos, como lixo e mendicância pelas ruas, mas o tango, o clima, a gastronomia e os belos prédios continuam lá, aliados a promoções imperdíveis para quem prefere as compras, graças à desvalorização peso argentino.

Para quem vai a Buenos Aires pela primeira vez, a dica é se hospedar no centro, devido a concentração dos melhores hotéis e proximidade dos principais pontos turísticos. Dali dá pra fazer vários programas a pé, seja fazer compras na “Calle Florida”, visitar prédios históricos como a Casa Rosada, o Congresso e a Catedral ou ir a cafés e restaurantes.

Na Florida, está localizada a “Galerias Pacífico”, com sua bela arquitetura, onde se localiza lojas de importantes grifes. Bem ali ao lado, a av. 9 de julho, com seus 140 metros de largura, considerada a mais larga do mundo. Na sua interseção com a av. Corrientes, está o Obelisco que rememora as duas fundações de Buenos Aires em 1536 e 1580. Hoje, é um ícone dos portenhos.

 

O domingo deve ser reservado para visitar a feira de antiguidades de San Telmo. Bairro emblemático de Buenos Aires nostálgica e boêmia, ainda é um ponto alto do tango e da poesia urbana. Na feira é possível assistir a apresentações de artistas de rua e comprar porcelanas, lustres e objetos de decoração em geral, por preços bem em conta. Perto dali fica o pitoresco bairro de La Boca, famoso por suas casas multicoloridas e por ser berço do aclamado Clube Atlético Boca Júniors.

 

 

Vale a pena tirar um dia da viagem para bater perna na Recoleta, sentar e papear num dos seus antigos cafés e conhecer o túmulo de Evita Perón. Turismo no Cemitério? Sim, em Buenos Aires esse é um roteiro imperdível! Por lá sempre tem guias turísticos que falam sobre a importância histórica da ex-primeira dama argentina, famosa por seu carisma que morreu aos 33 anos, de leucemia.


Antigamente afastados do centro, o Retiro e a Recoleta acolheram no fim do século 19 a aristocracia portenha, expulsa de San Telmo pelas epidemias. A francofilia da época explica o ar de “pequena Paris” desses bairros elegantes, que além do patrimônio arquitetônico e dos vários museus, estão cheios de bons endereços.


Não deixe de ir a Palermo, onde encontramos o verdadeiro pulmão da cidade. São vários parques e jardins reunidos em um só lugar, desenhados pelo francês Charles Thays (1849-1934). Destaque para o Jardim Japonês, que diferente dos jardins ocidentais que tem como ênfase a beleza das formas geométricas, ressalta a beleza do ambiente natural. Será um cenário de belas fotos!

Em Buenos Aires não se pode deixar de reservar uma noite para assistir a um espetáculo de Tango. As principais tanguerias oferecem aos turistas espetáculos com muita pompa e glamour, bem no estilo Broadway. Os espetáculos são uma sucessão de vários números artísticos, incluindo grupos instrumentais, cantores e casais de dançarinos. Eu estive no Señor Tango, um espetáculo feito por argentinos, para brasileiro ver, inclusive com piadinhas sobre a rivalidade entre os dois países.

 

A maioria dos garçons e vendedores das lojas, inclusive, falam português. Rivalidade? Não! O brasileiro se sente em casa sentado num café argentino e papeando com os vizinhos portenhos, desde que o assunto não seja futebol, é claro!
 

Mais Notícias de Passos Pelo Mundo
Café da manhã típico no Terraço do Riad
25/10/2020  08h00 Um passeio pela cultura marroquina
O mar das Ilhas Cayman tem uma cor indescritível
18/10/2020  09h00 Cruzeiro pelo Caribe sul e turismo na Cidade do Panamá
O castelo da Cinderela fica no final da Rota Romântica nos Alpes alemães
11/10/2020  08h00 Baviera: Rota Romântica e história do Nazismo
Miami Beach e o seu lindo mar do Caribe
04/10/2020  08h00 Miami no inverno vale a pena?
Aix en Provence é conhecida como a “cidade das mil fontes”
27/09/2020  08h00 Provence, uma viagem dos sonhos

Blogs e Colunas
Passos Pelo Mundo
Passos Pelo Mundo

Carla Passos é Jornalista, especializada em Turismo e apaixonada por história, flores, textos e coisas inspiradoras. Adora sol, mar, fotografia, doce da padaria, dançar, e sonhar… Na infância, ainda morando em Salvador, meu principal hobbie era ir ao aeroporto ver os aviões partirem. Eu sempre dizia que um dia eu estaria dentro daqueles aviões. Antes de completar 15 anos, eu dizia aos meus pais: não quero festa, quero viajar de avião para o Rio de Janeiro. Foi minha primeira viagem de avião! Trabalhei anos com essa editoria, mas atualmente estou na editoria de política, minha segunda paixão. Assim o turismo virou um hobbie. E de lá pra cá já conheci quase todos os estados do Brasil e 25 países.

Instagram: @passospelomundo_

E-mail: carla.jornalista@hotmail.com

O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.