Banco do Nordeste do Brasil – 68 anos de Desenvolvimento Regional
Criado no início dos anos cinquenta do Século XX, o Banco do Nordeste do Brasil S/A (mais conhecido como BNB) transformou a história da Região Nordeste e, tem exercido um importante papel geopolítico de ser um agente indutor do desenvolvimento regional em um país com impactantes desigualdades territoriais. Consta no site da instituição financeira que o Banco do Nordeste foi criado pela Lei Federal nº 1.649, de 19/07/1952, para atuar no chamado Polígono das Secas, designação dada ao perímetro do território brasileiro atingido periodicamente por prolongados períodos de estiagem. Na época da criação do Banco do Nordeste, a população da Região representava 34,7% dos brasileiros e chegava a aproximadamente 18 milhões de habitantes. Além disso, em termos sócio-econômicos as disparidades entre a Região Nordeste e as demais Regiões do Brasil, especialmente as mais ricas (Sudeste e Sul) eram gigantes. Cabe registrar que o início dos anos 1950 do Século XX foram trágicos do ponto de vista de um desastre natural que afeta a Região, a estiagem prolongada que resultada em uma tragédia social que reproduz teorias de dependência, pois o Nordeste era essencialmente agrícola, com pouco desenvolvimento industrial e, para além disso, a agricultura nordestina tinha predomônio de monoculturas, a exemplo do algodão e da cana-de-açúcar e culturas de subsistências. Essa travessia de quase sete décadas modificou a realidade do Nordeste, do Norte de Minas Gerais e Norte do Espírito Santo que geopoliticamente, do ponto de vista de incentivos fiscais e financeiros, fazem parte do poligono de atuação do Banco do Nordeste e de outros organismos regionais, a exemplo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE). Mas os desafios ainda existem e são muitos, precisaremos de pelo menos mais meio século para equilibrar adequadamente o desenvolvimento regional. São portanto cerca de 2 mil munícipios com a presença da atuação do BNB na concessão de crédito para amparar as necessidades de recursos para o desenvolvimento das atividades produtivas. Entendo e creio que na minha condição de economista e geógrafo, posso afirmar que o Banco do Nordeste tem cumprido a sua missão de agir como banco de desenvolvimento do Nordeste. Sendo um dos cinco bancos federais do Brasil e um dos dois regionais, o BNB deve ser mantido e fortalecido para o bem da região de sua atuação e do Brasil, pois seu desepenho tem sido importante para a resolução dos problemas de natureza econômica que existem na Região Nordeste. A articulação de políticas governamentais lideradas pelo BNB torna a Região menos vulnerável aos efeitos naturais e auxília na busca de mais equilíbrio do nosso Brasil. Vale destacar que são em momentos de crise como o que estamos vivenciado no momento que o papel dos Banco de Desenvolvimento são determinantes, cito o exemplo do Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (BERD) que está concedendo um empréstimo de € 20 milhões ao Sparkasse Bank Makedonija para repasses a empresas privadas locais e empresas afetadas pelo impacto econômico da pandemia do coronavírus. O BERD respondeu rapidamente à crise do Covid-19 com o lançamento de um pacote de solidadriedade. O Banco do Nordeste não fez diferente, criou o FNE Emergencial com o objetivo de recuperação e preservação das atividaades produtivasa localizadas nos municípios da área de atuação do FNE com situação de emergência ou estado de calamidade pública em decorrência da pandemia do Covid-19 e conseguiu apoiar e auxiliar diversas atividades produtivas, dando uma demonstração da importância da existência de uma Banco de Desenvolvimento Regional. Assim parabenizo os funcionários e todos os colaboradores que ajudaram no desenvolvimento do Banco do Nordeste, que o legado continue melhorando a vida da população local. E ao parabenizar os funcionários extendo os meus parabéns para a sua entidade representativa, a Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (AFBNB), fundada em 4 de fevereiro de 1986, que tem entre os seus objetivos, o de trabalhar pelo desenolvimento do Nordeste, através do combate às desigualdes sociais; e também para a entidade representatica dos ex-funcionários, a Associação dos Funcionários Aposentados do Banco do Nordeste (AFBNB) que foi fundada em 17 de maio de 1983. Também registro os meu votos de louvor aos dirigentes do Banco, quase todos funcionários da casa, do Presidente aos demais Diretores que continuem construindo um legado de desenvolvimento regional e de melhorias das condições sociais da população da área de atuação do Banco do Nordeste. Parabéns Banco do Nordeste pelos seus 68 anos de atuação!
Blogs e Colunas | Saumíneo Nascimento 18/07/2020 08h15
Mais Notícias de Saumíneo Nascimento
21/03/2020  15h48

Impactos Econômicos do COVID-19

10/11/2019  11h57

A Dívida Mundial

08/07/2019  07h44

Mudança de comando no FMI

10/06/2019  09h07

INTERNACIONALIZAÇÃO DO GRUPO TIRADENTES DE EDUCAÇÃO

12/05/2019  07h35

A Busca da Segurança Alimentar


Blogs e Colunas
Saumíneo Nascimento
Saumíneo Nascimento

Saumíneo Nascimento é Economista, Mestre e Doutor em Geografia, tem Pós-Doutorado em Ciência da Propriedade Intelectual pela UFS, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, da Associação Brasileira de Relações Internacionais e da Academia Nacional de Economia.

E-mail: saumineon@gmail.com

O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.
Dark Room recebe Luciana Galvão
Dark RoomDark Room recebe Luciana Galvão
Dark Room recebe Dj Pipo
Dark RoomDark Room recebe Dj Pipo