Veganismo: Conheça um estilo de vida que virou tendência | F5 News - Sergipe Atualizado

Veganismo: Conheça um estilo de vida que virou tendência
Especialistas e adeptos explicam os benefícios da prática e seus desafios
Cotidiano | Por F5 News 06/08/2022 07h30

O universo alimentar vegano vem sendo explorado cada vez mais nos últimos anos. Muitas pessoas conhecem a prática e alguns até conseguem adotá-la, enquanto outros optam por se enquadrar parcialmente. 

O fenômeno se tornou tão grande a ponto fazer com que um novo herói mundial da Marvel fosse vegano - o Cavaleiro da Lua -, uma possível forma de atrair público e identificação. Outra personagem vegana, mas esta já difundida no imaginário mundial, é a idealista Lisa Simpson, da animação Os Simpsons.

Mas o que de fato é o veganismo e o que o difere do vegetarianismo? 

Conversando com especialistas e pessoas que adotam esse estilo de vida, o F5 News coletou algumas informações. 

O vegetariano é aquela pessoa que não consome nenhum tipo de carne. Geralmente, está atrelado a princípios não apenas de proteger os animais, como também cuidar da natureza, já que a expansão da pecuária tem influência no aumento do desmatamento e na emissão de gases causadores de efeito estufa, notadamente o metano.  

A pessoa adepta do vegetarianismo pode ser ovolactovegetariano - que ingere ovo, leite e derivados, lactovegetariano - corta o ovo da dieta, mas consome leite e derivados, ovovegetarianismo - consome ovo, mas não inclui leite e derivados e vegetariano estrito, que está aliado mais ao veganismo. Nesse caso, o indivíduo não consome carnes e nem qualquer outro produto de origem animal, incluídos ingredientes de biscoitos, para citar um exemplo. 

“Sempre é bom lembrar que o veganismo não é uma forma de só se alimentar, é um movimento político, ato de responsabilidade social, animal e ambiental, que vai além da alimentação” afirmou em entrevista ao F5 News a nutricionista Angie Marques, que aborda a culinária vegana e vegetariana em suas redes sociais. 

“O vegano, assim como o vegetariano estrito, não come carnes e não consome nenhum outro produto de origem animal", explica, acrescentando que o vegano vai além e não admite usar, por exemplo, roupas em couro legítimo, nem utensílios domésticos que tenham algum material de origem animal, assim como cosméticos que tenham sido testados em animais.  

Ainda existem também os flexitarianos, que ainda estão no processo de exercitar a diminuição no consumo de carne e outros produtos de origem animal. 

Afinal, o que é preciso saber para adotar o estilo de vida vegano? É necessário ponderar algumas questões. 

Para quem segue esse estilo de vida, foco e determinação surgem como ingredientes essenciais. Não é uma jornada fácil, seja para se acostumar com a dieta ou para lidar com o cotidiano, já que os veganos encontram até barreiras sociais. 

Quase tudo é feito de origem animal 

“Mocotó é claramente uma planta”, disse Manu Gavassi durante um episódio da edição 20 do Big Brother Brasil, da Rede Globo. 

Infelizmente, Manu Gavassi está equivocada. O contexto acontece quando a jovem cantora e Bianca Andrade, duas participantes do programa que seguem a dieta vegetariana, ingerem geleia de mocotó no café da manhã. Contudo, a geleia de mocotó é feita a partir de ossos, peles, tendões de boi e de porcos. 

Não apenas o mocotó, mas vários outros produtos que não imaginamos terem rigem animal. 

De acordo com o Ecycle, empresa que trabalha com meio ambiente, itens como raquetes, bolas e outros equipamentos esportivos incluem em suas confecções subprodutos de origem animal. Outros vários objetos estão inclusos nessa extensa lista, a exemplo de extintores de incêndio, biscoitos, filmes fotográficos, pneus de carro e até fogos de artifício. 

Essas informações muitas vezes não são de conhecimento popular. Por isso, o vegano pode enfrentar algumas dificuldades para evitar por completo os produtos que têm origem animal e até aqueles testados em animais.

Ser vegano em geral sai caro 

Na mesma medida que o vegano pode acabar se deparando com produtos de origem animal sem que isso esteja claro, as substituições podem custar um pouco mais caro. 

Outro problema é que, em cidades pequenas, o déficit de lugares especializados em comidas veganas é grande. E nem todos conseguem executar o plano alimentar devido à correria do dia-a-dia. 

“A transição para o veganismo, não fiz por alguns fatores, aqui na nossa cidade, a oferta é muito pequena. E eu ainda acho tudo caro. Você imagina como a gente vai tornar acessível para aqueles que não têm uma condição financeira um pouco mais estável. Você vai em um restaurante vegetariano, ainda é muito caro. O veganismo é um estilo de vida, não me vejo em condições financeiras de poder arcar com a ideologia”, afirma a funcionária pública federal Cláudia Simone Oliveira.

Além disso, existe a necessidade de acompanhamento profissional, à qual nem todos possuem acesso. “Assim como qualquer dieta, qualquer orientação na alimentação, ela precisa de um profissional que entenda todas as suas questões, envolvendo não só a parte alimentar, mas também o indivíduo particularmente. Querendo saber do que ele necessita, do que ele precisa e o que ele deseja. Uma dieta vegana, como qualquer outro tipo de planejamento alimentar, precisa de um profissional”, alerta a nutricionista Angie Marques em entrevista ao portal. 

Prós e contras

Uma dieta vegana não é sinônimo de saudável, mas também não é o contrário disso. Toda dieta deve buscar o equilíbrio, e assim como qualquer outra, existem seus prós e contras. 

O nutrólogo e endocrinologista Joffre Nogueira Filho disse ao F5 News que a dieta vegana é benéfica aos animais não abatidos, mas que, por outro lado, não conhece a vantagem dela para o ser humano, já que esta pode ser responsável pela baixa absorção de proteína. 

“O inconveniente mais sério da dieta vegana é a ausência da ingestão de proteínas animais, já que elas são melhores absorvidas. Substituí-las por proteínas de origem vegetal necessita um empenho e conhecimento importante. Além disso, há aminoácidos, componentes das proteínas animais, que são pouco abundantes na proteínas de origem vegetal. Frequentemente se instala uma falta destes aminoácidos, quando eles estão ausentes a absorção proteica é comprometida”, disse o endocrinologista ao portal. 

Ele ainda aborda a vitamina B12, que é só produzida naturalmente em produtos de origem animal, porém imprescindível para a saúde. “A vitamina B12 não existe em alimentos que não sejam de origem animal. é obrigatório o vegano tomar vitamina B12 de preparações industriais. A falta de vitamina B12 dá alterações da formação dos glóbulos vermelhos, podendo levar à anemia e alterações na saúde dos nervos periféricos, levando a neuropatias graves”, diz Joffre Nogueira Filho. 

Angie Marques ainda alerta que a dieta precisa de um momento de transição para adaptação do corpo. “Existe um processo de transição, para uma pessoa onívora, que come carne, para que ela vai diminuindo o consumo ao longo do tempo. E nessa de diminuir o consumo, ela vai chegar num momento que não vai comer mais. É importante que haja substituição, a gente tem que fazer com que o nosso organismo não sinta o fato de tirar um produto, que o nosso organismo não sinta perda de nutrientes”, avaliou. 

A nutróloga considera que a dieta vegana é saudável, equilibrada e capaz de fornecer todo o "combustível" para o bom funcionamento do organismo, a exemplo dos macro e micronutrientes. 

Algumas pessoas não conseguem se adaptar 

Existem pessoas que não conseguem se adaptar ao veganismo, e acabam sentindo os impactos na saúde, por isso, acabam optando ou por voltar a consumir carne ou adotar um vegetarianismo menos estrito. 

O confeiteiro Ismael Nascimento Silva contou em entrevista ao F5 News que, ao aderir à dieta vegana, acabou enfrentando alguns problemas de saúde. “Tive que parar por vários fatores, quando resolvi virar vegano foi bem ‘da noite pro dia’, sem conhecimento, sem ajuda médica, sem entender como funcionam as trocas de nutrientes de origem animal por vegetal, nutrientes fundamentais. Achava que tudo se resumia à proteína de soja, o que um momento acabou com minha imunidade, saúde em geral. Fui parar no hospital por falta de algumas vitaminas, lá fui obrigado a voltar a me alimentar normalmente por um tempo”, disse Ismael.

Ele ainda relatou que, após esse episódio, foi orientado a procurar ajuda nutricional. “Entender como funciona esse tipo de dieta que de certa forma é restritiva, na época não tinham muitas opções de insumos para eu poder trocar de forma saudável, nutritiva, gostosa e que, principalmente, coubesse no orçamento da família. Por esses fatores resolvi "parar aos poucos". Voltei a comer carnes e derivados e fui tentando largar aos poucos. Hoje em dia só como carne branca por pura satisfação pessoal”, disse o confeiteiro ao F5 News

A nutricionista Angie Marques, ainda em depoimento ao portal, afirma que de fato existem pessoas que não conseguem se adaptar por questões de saúde, mas que outros fatores podem influenciar. “Às vezes não é nem pela dieta, é pelo social, pela parte emotiva, pela parte mental, pela parte logística de cozinhar e procurar os alimentos, pela parte financeira, mas não necessariamente pela dieta”, expôs.

A criadora de conteúdo digital Luiza Allan Aragão faz parte do grupo dos que provam que é possível. Vegana há quatro anos, a jovem é a idealizadora da página do instagram “Não como só alface”, que aborda a alimentação e estilo de vida veganos, para um universo de mais de 70 mil seguidores.

“O fator social, de confraternização de ambientes e festas, pode trazer uma dificuldade para essa questão da alimentação. Mas na maior parte das vezes é tranquilo, porque como já temos consciência da possibilidade de não haver opção, já faz a gente levar o alimento ou sair de casa já alimentado”, afirma Luiza.

Edição de texto: Monica Pinto
Mais Notícias de Cotidiano
SMS/ Reprodução
19/08/2022  21h00 Sábado tem Dia D de vacinação infantil nos shoppings Jardins e RioMar
Metrópoles/Reprodução
19/08/2022  20h30 Covid em baixa: médicos explicam se já é seguro abandonar as máscaras
Reprodução/ Metrópoles
19/08/2022  20h02 Mães veem tratamento dos filhos regredir após tortura de fonoaudióloga
arquivo pessoal / cedida ao F5 News
19/08/2022  19h11 Dia Mundial da Fotografia: é possível sobreviver com a profissão em Sergipe?
SSP/ Reprodução
19/08/2022  19h04 Polícia cumpre mandado de internação contra adolescente em Lagarto