Aracaju tem a menor cesta básica em 12 meses, aponta Dieese
Com queda de -9,40% capital sergipana registra redução mais expressiva do país
Economia | Por F5 News 06/11/2019 14h29 - Atualizado em 07/11/2019 10h49

Aracaju continua sendo uma das capitais com a menor cesta básica do país. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (06) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O estudo realizado em 17 capitais apontou que em 2019, 10 municípios pesquisados tiveram taxas positivas, com destaque para Vitória (6,06%) e Recife (5,57%). Outras sete cidades mostraram redução, a mais expressiva em Aracaju (-9,40%).

Segundo o Dieese entre setembro e outubro de 2019, o custo do conjunto de alimentos essenciais, a cesta básica, aumentou em nove cidades e diminuiu em oito. As altas mais expressivas foram registradas em Brasília (5,21%), Campo Grande (3,10%) e Goiânia (1,12%). As quedas mais importantes foram observadas em Natal (-3,03%) e João Pessoa (-2,34%).

A capital com a cesta mais cara foi São Paulo (R$ 473,59), seguida por Porto Alegre (R$ 463,24), Rio de Janeiro (R$ 462,57) e Florianópolis (R$ 458,28). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 325,01) e Natal (R$ 341,90).
Em 12 meses, entre outubro de 2018 e o mesmo mês de 2019, com exceção de Aracaju (-5,11%) e Fortaleza (-1,58%), todas as capitais acumularam alta, que oscilaram entre 1,76%, em Florianópolis, e 10,62%, em Goiânia.

Com base na cesta mais cara que, em outubro, foi a de São Paulo, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o Dieese estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário.

Em outubro de 2019, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.978,63, ou 3,99 vezes o mínimo de R$ 998,00. Em setembro de 2019, o piso mínimo necessário correspondeu a R$ 3.980,82, ou 3,99 vezes o mínimo vigente. Já em outubro de  2018, o valor necessário foi de R$ 3.783,39, ou 3,97 vezes o salário mínimo, que era de R$ 954,00.

*Com informações da Agência Brasil

Mais Notícias de Economia
JF suspende portaria com protocolos para reabertura econômica em SE
07/07/2020  18h50 JF suspende portaria com protocolos para reabertura econômica em SE
Para a Justiça, documento contrariou critério definido em decreto para flexibilização
Prefeitura de Aracaju prorroga medidas emergenciais de auxílio a empresários
07/07/2020  18h50 Prefeitura de Aracaju prorroga medidas emergenciais de auxílio a empresários
Decreto amplia prazo para emitir Certidão Positiva, entre outras providências
Foto: Agência Brasil/Reprodução
07/07/2020  16h15 Pandemia: micro e pequenos afirmam que crédito não tem chegado
Problema foi exposto hoje à comissão que analisa ações do governo contra Covid-19
Foto: Divulgação
07/07/2020  13h00 Shoppings Jardins e RioMar lançam plataformas de vendas online
Equipes dos empreendimentos são responsáveis por todas etapas, da venda à entrega
Sergipe tem maior aumento na produção de ovos entre estados do Nordeste
07/07/2020  07h14 Sergipe tem maior aumento na produção de ovos entre estados do Nordeste
Cadeia produtiva da avicultura recebeu investimentos através do Projeto Dom Távora