Bares e restaurantes pedem retorno do funcionamento aos finais de semana | F5 News - Sergipe Atualizado

Grande Aracaju
Bares e restaurantes pedem retorno do funcionamento aos finais de semana
Categoria solicitou audiência com o Governo de Sergipe e a Prefeitura de Aracaju
Economia | Por F5 News 04/05/2021 10h35

Os donos de bares e restaurantes da Grande Aracaju estão insatisfeitos com a medida restritiva que proíbe o funcionamento dos estabelecimentos aos finais de semana, e protocolaram ofício no Governo do Estado e na Prefeitura de Aracaju solicitando audiência para tentar reverter a situação. De acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Sergipe (Abrasel), a categoria é a mais prejudicada pela pandemia da covid-19 e o “único remédio” é o trabalho.

“Toda e qualquer ajuda do Estado ou prefeitura é completamente desproporcional às nossas dívidas. Nosso melhor remédio é trabalhar. Todo o trade turístico quer essa audiência. Necessitamos, precisamos, aprender a conviver com o vírus”, afirma o presidente da Abrasel, Bruno Dórea. 

Em março deste ano, diante do alto número de casos de covid-19 no território sergipano, novas regras de restrição passaram a ser aplicadas pelo Governo do Estado, entre elas, o funcionamento dos bares e restaurantes seguindo horários de toque de recolher de 18h às 5h, e o fechamento durante os finais de semana. As medidas passaram a ser flexibilizadas no mês de abril, com a redução do horário de toque de recolher, iniciando às 22h e terminando às 5h. No entanto, a proibição do funcionamento aos finais de semana permanece para os estabelecimentos da Grande Aracaju, e será suspenso para as cidades do interior a partir dos dias 8 e 9 de maio (próximo final de semana). 

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no setor de serviços, o segmento de alimentação, bares, restaurantes e hotéis, perdeu 276 postos de trabalho em Sergipe no mês de março deste ano. No primeiro trimestre, no entanto, o saldo é positivo com a geração de 121 empregos com carteira assinada. Desde o começo da pandemia o setor acumula o fechamento de 1.524 postos de trabalho.

Segundo Dórea, os empresários se sentem preparados para atuar, mesmo com a pandemia acentuada em Sergipe. “Precisamos de um selo sanitário junto aos órgãos fiscalizadores, identificando quem está correto e fiscalização atuante. Quem estiver errado precisa se enquadrar ou será multado e punido”, sugere o presidente da Abrasel como deve funcionar a reabertura. 

Além disso, a categoria também está solicitando a inclusão de um representante do setor no Comitê Técnico Científico da Secretaria de Estado da Saúde (SES), que avalia a situação da pandemia no estado. “Precisamos de um representante, afinal, é o setor mais prejudicado na pandemia”, disse Dórea ao F5 News. 

Edição de texto: Monica Pinto
Mais Notícias de Economia
Trabalhadores nascidos em dezembro podem sacar auxílio emergencial
17/05/2021  06h44 Trabalhadores nascidos em dezembro podem sacar auxílio emergencial
Foto: Agência Brasil/Reprodução
16/05/2021  09h39 Caixa começa a pagar segunda parcela do auxílio emergencial
Poupança chega a -4,80% em abril. Será que vale a pena investir?
15/05/2021  12h31 Poupança chega a -4,80% em abril. Será que vale a pena investir?
Banese registra lucro de R$ 23,9 milhões no primeiro trimestre
15/05/2021  10h30 Banese registra lucro de R$ 23,9 milhões no primeiro trimestre
Setembro é o mês da retomada econômica para 54% dos pequenos negócios
15/05/2021  07h45 Setembro é o mês da retomada econômica para 54% dos pequenos negócios