Acesso do Confiança à série B acirra disputa entre clubes sergipanos | F5 News - Sergipe Atualizado

Futebol
Acesso do Confiança à série B acirra disputa entre clubes sergipanos
Especialistas acreditam que acesso trará inúmeros benefícios ao futebol de Sergipe
Esporte | Por Saullo Hipolito 26/09/2019 09h45 - Atualizado em 26/09/2019 10h06

O acesso do Confiança à Série B do Campeonato Brasileiro de 2020 já tem movimentado o mundo da bola em Sergipe. Diante da expectativa gerada em torno da nova fase do Dragão, F5 News conversou com alguns dos principais nomes da comunicação esportiva em Sergipe, que analisaram o reflexo para os demais clubes sergipanos.

O que já é certo é que o presidente Hyago França, reeleito na noite desta quarta-feira (25), tem muito a fazer. O campeonato nacional que o clube disputará é muito concorrido e acontece em mais de um semestre, ou seja, o Dragão terá um calendário cheio no ano e vai precisar se estruturar administrativamente, além de captar mais patrocínios e recursos financeiros suficientes para a contratação de jogadores de qualidade, que possam elevar o padrão do elenco e assim se apresentar de forma digna na principal competição.

Além do Campeonato Brasileiro, o time também está confirmado para as disputas da Copa do Nordeste e do estadual. Ainda há a possibilidade de uma vaga na Copa do Brasil.

Para o Campeonato Sergipano a expectativa é de que o patamar de rivalidade entre os clubes seja elevado, isso porque os times deverão querer mostrar mais força do que o time maior classificado no ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

"Na minha opinião, o Confiança deve usar o estadual como uma espécie de laboratório, mas com o time bom. Isso vai exigir que os outros se qualifiquem e, consequentemente, eles ficam mais próximos de um acesso à Série C. Isso vai obrigar, principalmente, que Sergipe, Itabaiana e Lagarto melhorem  os seus elencos", afirmou o jornalista Raimundo Macedo.

Opinião que vai de encontro ao que acredita o coordenador de esportes da TV Sergipe, Thiago Barbosa. Para ele o acesso é benéfico em vários aspectos, inclusive nesses movimentos obrigatórios que os rivais terão que fazer para tentar alcançar o que o Confiança já fez e conseguir destaque no cenário nacional.

"O Confiança muda de patamar com esse acesso, financeiramente, tecnicamente, estruturalmente, em todos os sentidos vai ser positivo tanto para o clube, quanto para seus adversários, principalmente pelo ranking da CBF. Esse momento servirá de incentivo para seus adversários”, afirmou Thiago.

Enquanto os especialistas veem como  benéfico o acesso do time à Série B, em paralelo a isso preveem que os desafios só tendem a aumentar no ano de 2020.

Desafios

A estruturação do elenco tem que começar para ontem, mas com cautela e profissionalismo. O ideal é pensar em construir um grupo profissional capaz de assegurar a permanência na competição nacional, criando maturidade e encorpando cada vez mais o elenco. Mas os especialistas apontaram outras questões importantes.

Para o radialista e narrador Paulo Júnior, é importante confirmar a manutenção de Daniel Paulista, técnico do acesso e em conjunto, definir os nomes que ficarão no elenco e os que serão contratados.

O cronista Adel Ribeiro pensa diferente. Ele acredita que o interessante é trazer um treinador mais cascudo. “Será preciso um técnico com um perfil ou de série B ou que já esteve na Série A do nacional, porque são treinadores mais experientes. É óbvio que o técnico do acesso pode ser mantido, mas ao meu ver, não é ideal. O segundo passo é atender os pedidos desse treinador, oferecendo jogadores que se encaixam na competição, com técnica mais avançada do que alguns que apresentaram limitações esse ano”, afirmou Adel.

Por falar em elenco, outro consenso entre os especialistas: a montagem do elenco deve ser com jogadores que possibilitem uma variação de opções táticas e técnicas, deverão ser jogadores experientes, mas que possam dar uma resposta em campo desde o primeiro momento, ou seja, poucas apostas ou nenhuma.

“Eu acho que o Confiança vai montar um elenco forte e competitivo, mas o mais importante é entrar no ritmo e ser um time de Série B, isso vai mudar muito em  todos os aspectos, seja nos treinamentos, estrutura de clube, alimentação, entre outros”, disse o jornalista Thiago Barbosa.

Representante da Associação de Cronistas Desportivos de Sergipe (ACDS), Adel ainda ressaltou que o campeonato também muda. “O campeonato da Série B é de pontos corridos, jogos de ida e de volta, se você estiver lá entre os quatro últimos, adeus, vai para a série C, mas se estiver da faixa intermediária para cima, a tendência é se manter na competição e se fortalecer a cada temporada, até chegar a uma primeira divisão”.

Finanças

Especula-se que a folha salarial atual do Confiança  gire em torno de R$ 200 mil. Esse quantitativo deve aumentar consideravelmente para 2020, isso porque o clube vai receber cotas já pré-estabelecidas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), como os R$ 8 milhões da TV, e adquirir outros recursos provenientes de patrocínios e incentivos públicos e privados.

“Na Série C não há tanto apoio financeiro, os recursos são escassos, já na Série B, com a visibilidade maior, cotas já estabelecidas, fora as empresas que poderão patrocinar o clube, só vai alavancar uma cadeia de situações possibilitando alavancar diversos setores de Sergipe, como o Turismo, o comércio e até mesmo a própria imprensa sergipana”, salientou Paulo Júnior.

Adel Ribeiro reforça que os adversários que o clube vai receber na próxima temporada têm níveis mais altos que os enfrentados esse ano. “Isso pode significar a capacidade máxima na Arena Batistão nos jogos do time. Esse acesso faz com que clubes do nosso futebol sergipano se aproximem mais de uma gestão profissional e saiam da Série D para uma Série C no futuro. Esse ano, por pouco, não tivemos o Itabaiana na Série C, ou seja, um time na segunda e outro na terceira divisão de um campeonato nacional”, enfatizou.

“É importante não gastar dinheiro em vão, e trabalhar com a situação real da coisa, ter um grupo competitivo para, no mínimo, se manter na competição”, reforçou Adel Ribeiro.

Situação do rival é complicada

Diferentemente do time azulino, o Sergipe só terá um calendário de quatro meses, apenas com o campeonato estadual e terá que fazer uma bela campanha para poder voltar a disputar uma competição nacional em 2021. Essa situação difícil é atribuída a más gestões pelas quais o clube tem passado nos últimos tempos.

Para dar a volta por cima, o time terá que tomar o seu principal rival como exemplo, a torcida também terá que chegar junto e incentivar mais do que nunca o seu time, lotando estádios e se beneficiando do programa sócio torcedor.

“A cobrança do torcedor do Sergipe para com o seu clube tende a crescer porque está vendo o seu rival direto galgar patamares importantes no cenário nacional. O torcedor do Sergipe vai precisar abraçar o seu time nesse momento e ajudá-lo em vários sentidos, como sócio torcedor. Isso é realmente importante, porque senão o Sergipe vai ter muitas dificuldades no ano que vem, independentemente de ele ser campeão ou não, ele só poderá garantir vaga na Série D de 2021”, comentou Thiago Barbosa.

Mais Notícias de Esporte
Divulgação
30/06/2022  13h30 Cunhado aponta outro motivo para fim do casamento de Piqué e Shakira
Segundo Roberto Garcia, cantora se recusou a emprestar dinheiro ao zagueiro espanhol
Agência Brasil/ Reprodução
29/06/2022  17h55 Torcedores do Boca Juniors são presos em São Paulo por racismo e injúria
Dois torcedores imitaram macacos, enquanto um outro fez uma saudação nazista
Mailson Santana/ Fluminense FC
29/06/2022  14h25 Abel Braga anuncia aposentadoria definitiva da função de treinador
A ideia era se aposentar com Fred, mas Abel alegou que estava muito pesado
Agência Brasil/Arquivo
28/06/2022  17h15 PSG informa Neymar que não conta mais com o jogador, afirma jornal
Decisão teria o aval de Kylian Mbappé e o pai do jogador já teria sido avisado
Twitter/ Conmebol
28/06/2022  09h25 Em dia de Libertadores, veja 10 curiosidades sobre o torneio
A maior competição de futebol da América do Sul inicia a fase de mata-mata