Petista pede desculpas após afirmar ‘já vai tarde’ sobre morte de Bruno Covas | F5 News - Sergipe Atualizado

Sergipe
Petista pede desculpas após afirmar ‘já vai tarde’ sobre morte de Bruno Covas
Silvio Santos também renunciou a presidência do Instituto Marcelo Déda
Política | Por Will Rodriguez 17/05/2021 07h23 - Atualizado em 17/05/2021 07h34

O jornalista e ex-vice-prefeito de Aracaju, Silvio Santos (PT), buscou se retratar após a repercussão negativa de uma postagem nas redes sociais, na qual sugere ter ficado satisfeito com a morte do prefeito de São Paulo, Bruno Covas. Em uma nota publicada na noite deste domingo (16), o petista sergipano reconhece ter sido ‘infeliz’ ao comentar que o tucano ‘já vai tarde’. Ele também pediu renúncia do cargo de presidente do Instituto Marcelo Déda, que leva o nome do seu companheiro de partido, morto pela mesma doença que tirou a vida do prefeito paulista. 

A postura de Silvio Santos não foi bem recebida nem mesmo entre seus correligionários, muitos dos quais já haviam manifestado pesar pela partida precoce do prefeito da maior capital do país, após uma luta de mais de um ano e meio contra um câncer no sistema digestivo com metástase nos ossos e no fígado. Houve quem, nos bastidores da política sergipana, apontasse a inevitável semelhança entre as trajetórias de Covas e Marcelo Déda, ex-governador de Sergipe pelo PT. Ambos eram considerados políticos de perfil conciliador e com um futuro promissor, que não deixaram de trabalhar mesmo quando já acometidos pela crueldade da doença que lhes tirou a vida, no auge de suas vidas públicas.

Diante da comoção nacional pela morte de Covas, Silvio postou a seguinte frase: ‘Não sou hipócrita. Já vai tarde o homem cuja maior obra foi humilhar seus semelhantes. #vaderetro” com uma foto que mostra um dos viadutos onde a Prefeitura de São Paulo, ainda sob a gestão de Covas, instalou blocos de paralelepípedo na parte inferior, no começo deste ano. A medida recebeu críticas por ser vista como higienista, uma forma de retirar a população de rua do local, e foi revertida em fevereiro.

A publicação do sergipano recebeu diversas críticas, especialmente porque companheiros de partido em nível local e nacional, bem como outros aliados, haviam adotado tons diferentes em suas manifestações diante da morte de Covas. O Instituto Marcelo Déda e a vice-governadora de Sergipe, Eliane Aquino (PT), viúva do petista, por exemplo, externaram pesar pela partida do prefeito da capital paulista. 

“Assim como já publicamos mais cedo no Instagram do Instituto Marcelo Déda, reafirmo minha solidariedade à família do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, por sua partida tão precoce. Assim como Marcelo (Déda), ele enfrentou um câncer agressivo, por isso, compreendo o tamanho da dor que a família está enfrentando”, postou Eliane Aquino já após a repercussão negativa da declaração de Silvio Santos.

Logo na sequência, Silvio Santos publicou uma nota com as seguintes afirmações:

Diante da repercussão sobre uma postagem de minha autoria em meu perfil no Instagram, venho a público prestar os seguintes esclarecimentos:

Tenho uma vida toda devotada a luta em defesa dos trabalhadores e dos mais humildes. Me indigna a barbárie e a truculência com que tradicionalmente são tratados os desvalidos.

Movido por grande indignação postei uma mensagem revelando revolta com a “beatificação” de um homem que, como governante, demonstrou total desprezo pelos pobres. 

Exagerei e fui infeliz na verbalização dessa indignação, confesso. Assim como os desvalidos moradores de rua de São Paulo, bem como os favelados do Rio de Janeiro ou os despossuídos de todo o Brasil, ninguém, mesmo que seja um insensível governante, merece morrer.

Dessa forma, venho a público pedir desculpas a tod@s que ficaram espantados com a força e a insensibilidade do meu verbo. Peço desculpas especialmente àqueles que me conhecem como moderado e sabem que não sou chegado a arroubos e desumanidades. Estes, certamente, ficaram mais espantados.

Informo ainda que, ao perceber que minha atitude na referida postagem respinga na entidade que presido, resolvi renunciar em caráter irrevogável a presidência do Instituto Marcelo Déda.

Reafirmo que não desejo nem me alegro com a morte de ninguém e continuo no meu caminho de luta e solidariedade com os menos favorecidos.

Atenciosamente,

Silvio Alves Santos
 

Mais Notícias de Política
Foto: Ilustrativa/Marcelle Cristinne
20/06/2021  11h15 Governo usou só 30% da verba destinada à compra de vacinas da Covid-19
Manifestação na Esplanada (Rebeca Borges/Metrópoles)
19/06/2021  17h20 Manifestantes fazem novo ato contra governo federal neste sábado
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado/Reprodução
18/06/2021  15h13 Relator da CPI da Pandemia divulga lista de investigados
Reprodução redes sociais
18/06/2021  13h45 PDT expulsa secretário que cobrou “liberdade de expressão” para usar suástica
Foto: Ascom/Linda Brasil
18/06/2021  13h00 Reação de Linda Brasil à não aprovação de PL pode ser levada à Comissão de Ética