Plenário da Câmara aprova PEC do Orçamento Impositivo
Pelo texto, será aplicado percentual de 0,8% da receita corrente líquida em 2020
Política | Por Agência Brasil 05/06/2019 16h46 - Atualizado em 05/06/2019 17h05

O plenário da Câmara aprovou nesta quarta-feira (5), em dois turnos, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Orçamento Impositivo. Pelo texto, o governo federal fica obrigado a liberar a verba de emendas parlamentares de bancada para ações previstas no Orçamento. As chamadas emendas de bancada são as apresentadas por deputados e senadores de cada estado para ações específicas naquela unidade da Federação.

O substitutivo apresentado pelo relator, deputado Carlos Henrique Gaguim (DEM-TO), manteve o texto aprovado no Senado em abril e, dessa forma, segue para promulgação do Congresso.

Pelo texto, será aplicado percentual de 0,8% da receita corrente líquida (RCL) em 2020, em vez de 1%, como aprovado pela Câmara. Somente a partir do segundo ano (2021) após a promulgação da norma, será de 1% da RCL. Metade dos recursos será obrigatoriamente destinada a obras estruturantes. Os compromissos de anos anteriores ainda não pagos, os chamados restos a pagar, poderão ser considerados para fins de cumprimento da execução das emendas, mas agora sem limite definido – o Senado aprovou até 0,5% da RCL, mas o substitutivo da comissão especial não cita números.

“A nova abordagem do papel do orçamento público implica o compromisso de devolução à sociedade de bens e serviços, em contrapartida à tributação, cabendo sua aplicação plena às programações que integram programas temáticos ou finalísticos”, justificou o relator da proposta na Câmara.

As emendas impositivas de bancadas estaduais são amparadas desde 2016 pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que muda todos os anos. O Orçamento deste ano destinou R$ 169,7 milhões por bancada, a serem distribuídos em até seis emendas de execução obrigatória.

As emendas parlamentares são recursos do Orçamento que o Congresso direciona para obras e benfeitorias nas cidades brasileiras. Em geral, os deputados e senadores direcionam esses recursos para suas regiões de origem. Hoje as emendas individuais já são consideradas impositivas. O que a PEC faz é estender essa obrigação para as emendas das bancadas estaduais e do Distrito Federal.

Para o deputado Hélio Leite (DEM-PA), a proposta representa "não só recursos para Municípios e para o Estado, mas representa a independência deste Poder tão importante para a Nação".

"Esta PEC é importante, porque dá a cada município aquilo que é preciso ter: mais recursos, mais condição para que possa investir na saúde, educação, segurança, agricultura, no esporte, na cultura e no lazer”, avaliou.

Mudanças
Os deputados também aprovaram mudanças no texto da PEC. Esses dispositivos foram desmembrados do texto e deverão ser analisados em separado pelos senadores. Entre eles está o destaque do PDT que retirou a exclusividade de iniciativa do presidente da República na apresentação de projeto de lei pelo qual serão definidos critérios e condições para a repartição, com estados e municípios, de receitas obtidas em leilões do excedente da cessão onerosa do petróleo do pré-sal.

“[O dispositivo] não proíbe a iniciativa do presidente, ele não suprime a iniciativa do presidente, ele apenas mantém a prerrogativa deste Parlamento de fazer a lei, que será uma lei muito benéfica a todos os municípios e estados do Brasil”, explicou o deputado Eduardo Bismarck (PDT-CE).

A Lei 12.276, editada em 2010, permitiu que a Petrobras pague diretamente à União pela exploração, sem licitação, de um total de 5 bilhões de barris de óleo equivalente na Bacia de Santos em campos do pré-sal. Novas avaliações da reserva apontaram que ela tem de 6 bilhões a 15 bilhões a mais de barris, esse é o excedente que ainda deve ser licitado.

Mais Notícias de Política
Belivaldo envia PEC da Reforma da Previdência Estadual à Alese
12/12/2019  12h27 Belivaldo envia PEC da Reforma da Previdência Estadual à Alese
Confira as mudanças propostas pelo governo de Sergipe para aposentadoria
Foto: César de Oliveira/CMA/Reprodução
11/12/2019  17h17 Projetos do Executivo são aprovados em 1ª votação na Câmara de Aracaju
Vereador reclama de pouco tempo para analisar as proposituras do Executivo
Senador move ação contra retorno do conselheiro Flávio ao TCE
11/12/2019  09h52 Senador move ação contra retorno do conselheiro Flávio ao TCE
Na ação, Alessandro Vieira também quer impedir pagamento de parcelas indenizatórias
Foto: Gilton Rosas/CMA/Reprodução
10/12/2019  16h56 Vereador de Aracaju denuncia falta de macas no Samu
Isac Silveira apresentou um vídeo que mostra macas não utilizadas no Huse
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Reprodução
10/12/2019  14h27 No Senado, CCJ aprova pacote anticrime e prisão em segunda instância
Pacote pode ter votação final no plenário da Casa até amanhã