saúde
Pediatra alerta pais para as doenças de inverno
Nos últimos dois meses foram registrados 6.158 atendimentos a crianças no Huse
Cotidiano 10/07/2018 15:26

Com a chegada do inverno, a mudança de temperatura cai e a unidade pediátrica do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), gerido pela Secretaria de Estado da Saúde( SES), dobra o número de atendimento às crianças com sintomas como febre, dor no corpo, tosse seca, nariz entupido ocasionadas pela gripe, pneumonia, bronquite entre outras doenças respiratórias que sempre aumentam neste período frio. Nos últimos dois meses (maio e junho) foram registrados 6.158 atendimentos realizados aos pequenos pacientes. Desse total, 733 ficaram internados para tratamento ou observação.

Funcionando em tempo integral, a unidade pediátrica do Huse dispõe de recursos específicos, técnicos, científicos, equipamentos e materiais para garantir a assistência às crianças de zero a 12 anos. De acordo com a coordenadora da pediatria, Cristiane Barreto, muitos casos simples continuam sendo levados ao hospital, que por sua vez já tem uma demanda diária razoável e que nesse período do inverno aumenta.

“As doenças respiratórias aumentam nessa época do ano. Fazer o acompanhamento com um pediatra é prevenir que uma simples tosse vire uma pneumonia. Existem também os casos mais simples que podem ser tratados em casa com um antitérmico que já tenha sido prescrito anteriormente pelo médico para baixar a febre ou dores no corpo. No caso dos sintomas persistirem, aí sim os pais devem levar a criança à unidade mais próxima”, explica.

A coordenadora da pediatria alerta aos pais sobre a falta de apetite nas crianças durante uma virose nessa época do ano. “Como muitos são pequenos, ainda não sabem contar o que estão sentindo, então os pais devem ficar atentos a essa mudança de comportamento da criança para agir o mais rápido possível. Vale ressaltar que mesmo com o fluxo aumentado na pediatria, estamos preparados para prestar o atendimento com a mesma qualidade”, informou.

Usuários

A recepcionista Ana Waléria Dias, 26, estava preocupada com a tosse da filha de 4 anos, que persistia. Ela tratou inicialmente em casa com um xarope expectorante receitado pela pediatra em um outro momento, mas, o problema continuou e ela preferiu procurar a pediatria do Huse.

“Para a minha filha dormir era complicado, acordava muitas vezes durante a noite e tossia muito. Eu já estava tratando em casa há uma semana e ela não melhorava, então, achei mais correto trazer para a pediatria do Huse e receber um tratamento mais correto. Tomara que ela não precise ficar internada e volte logo pra casa”, disse.

L.R.S, 2, está internado e provavelmente receba alta na tarde desta terça-feira. “Ele precisou ficar internado por ser alérgico e sempre nessa época do ano com muita chuva e fumaça de fogueira a alergia aumenta”, explicou a estudante e acompanhante do pequeno paciente, Clara Rafaela Silveira, 21.

Estrutura

A pediatria do Huse dispõe de um serviço com atendimento de assistência por classificação de risco, que organiza a área de atuação das equipes de acordo com as cores azul, verde, amarelo e vermelha. O serviço pediátrico é constituído pelo pronto socorro, enfermaria (internamento) e CTI pediátrico, destinado ao tratamento dos casos infantis graves.

São 10 leitos no Centro de Terapia Intensiva (CTI) para atender os pacientes infantis em estado crítico, 20 leitos na Área Azul infantil, muitas vezes superlota com pacientes de baixa complexidade, que deveriam estar nas Unidades de Pronto Atendimento e acabam sendo atendidos no Huse. A pediatria conta também com sete leitos na Área Amarela, sete leitos na Área Vermelha ( um de trauma), além de 15 leitos na Área Verde.

Já no internamento pediátrico conta com 42 leitos que estão distribuídos entre as enfermarias Carinho, Felicidade, Paz, Esperança e Alegria, além de dois leitos de estabilização de intercorrências, um isolamento do PS e um internamento.

 

Fonte:Ascom SES

Mais Notícias de Cotidiano
21/03/2019 18:43 MPF: esquema envolvendo Temer e Moreira Franco movimentou R$ 1,8 bi
Procuradores afirmam que grupo criminoso atua há mais de 40 anos
21/03/2019 16:44 Caso Laysa: testemunhas começam a ser ouvidas em juízo
Audiência da ação penal apura o assassinato da transexual Laysa Fortuna
21/03/2019 15:26 Chuva e fortes ventos causam transtornos em bairros de Aracaju
Árvore caiu e telhado de estacionamento cedeu em condomínios da capital
21/03/2019 15:00 Aluna sergipana de 15 anos tira nota mil na redação do Enem 2018
Letícia é a aluna mais nova a tirar nota máxima na prova
21/03/2019 14:30 Projeto profissionaliza pessoas com Síndrome de Down em Aracaju
A Galera do Click, criada em São Paulo, chegou a Sergipe em janeiro deste ano