Sequestrador de ônibus no Rio é morto por atiradores de elite
Ele fez 37 passageiros reféns na Ponte Rio-Niterói
Brasil e Mundo | Por Agência Brasil 20/08/2019 09h00

O porta-voz da Polícia Militar (PM) do Riode Janeiro, coronel Mauro Fliess, confirmou que o sequestrador que fez 37 reféns no início da manhã, em um ônibus na Ponte Rio-Niterói, foi morto por atiradores de elite.

Tiros foram ouvidos no local por volta das 9h. Pelo Twitter, a PM informou que a ocorrência foi encerrada sem vítimas entre os reféns. “O tomador de refém foi neutralizado por um atirador de precisão do #Bope [Batalhão de Operações Policiais Especiais] e todos os reféns foram libertados ilesos” postou a corporação.

O sequestro começou pouco antes das 6h e interditou a ponte nos dois sentidos. Até as 9h, o sequestrador havia liberado seis reféns. Segundo as primeiras informações, ainda não confirmadas, o sequestrador estava armado e se identificou como policial militar.

A polícia disse que a arma usada por ele era um simulacro, ou seja, de brinquedo.

A ponte permanece interditada.

Mais Notícias de Brasil e Mundo
Marinha intensifica fiscalização das embarcações no carnaval
23/02/2020  16h08 Marinha intensifica fiscalização das embarcações no carnaval
Operação Verão 2020 – Mares Seguros e Limpos fiscaliza aspectos de segurança
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
23/02/2020  15h51 Coronavírus: brasileiros deixam quarentena na Base Aérea de Anápolis
Todos repatriados foram liberados da quarentena quatro dias antes do previsto
Foto: Warley de Andrade/ TV Brasil
23/02/2020  11h10 Coronavírus: grupo em quarentena em Anápolis será liberado neste domingo
Últimos exames em repatriados da China deram negativo para a doença
Foto: Débora Brito
22/02/2020  18h46 Capes divulga na próxima semana bolsas para mestrado e doutorado
Não são novas bolsas, mas as existentes que serão redistribuídas aos alunos
Trabalho infantil aumenta 38% durante o carnaval; saiba como denunciar
22/02/2020  18h32 Trabalho infantil aumenta 38% durante o carnaval; saiba como denunciar
Em 2019 foram registradas 129 denúncias contra esse tipo de trabalho