Aracaju mantém cesta básica mais barata entre 17 capitais pesquisadas | F5 News - Sergipe Atualizado

Aracaju mantém cesta básica mais barata entre 17 capitais pesquisadas
Em novembro, preço dos gêneros alimentícios caiu 0,19%
Economia 05/12/2012 17h00


Da Redação (*)

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgou, nesta quarta-feira (5), a pesquisa realizada em 17 capitais brasileiras sobre o preço dos gêneros alimentícios que compõem a cesta básica. Aracaju continua mantendo o patamar do menor preço da cesta básica entre as capitais e diminuiu 0,19% no mês de novembro, chegando ao custo de R$ 205,63 para o consumidor.

Salvador pontua no ranking com a segunda cesta básica mais barata (R$ 220,49), seguida de João Pessoa (R$ 235,35). São Paulo é a capital onde se apurou o maior valor para a cesta básica (R$ 299,26). Depois aparecem Vitória (R$ 295,31) e Porto Alegre (R$ 286,83).

Em novembro, o preço dos gêneros alimentícios essenciais diminuiu em 13 das 17 capitais onde se realiza mensalmente a Pesquisa Nacional da Cesta Básica. As maiores quedas foram verificadas no Rio de Janeiro (-7,88%), Porto Alegre (-6,18%) e Goiânia (-5,26%).  As altas no mês foram mais moderadas e registradas em João Pessoa (1,02%), Belém (0,61%), Vitória (0,50%) e Florianópolis (0,31%).

Com base no valor apurado em São Paulo e levando em consideração o preceito constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para a manutenção de um trabalhador e a família dele, suprindo gastos com alimentação, moradia, educação, vestuário, saúde, transportes, higiene, lazer e previdência social, o Dieese estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário.

Em novembro, o salário mínimo pago deveria ser de R$ 2.514,09, ou seja, 4,04 vezes o piso vigente. Com a queda de preços no mês, este valor é menor do que o estimado em outubro, quando ficou em R$ 2.617,33 (4,21 vezes o salário base). Em novembro de 2011, o salário mínimo necessário era de R$ 2.349,26 ou 4,31 vezes o valor mínimo em vigor na época, R$ 545,00.

Variações acumuladas

No acumulado do ano até novembro, apenas Goiânia registra queda nos preços médios dos alimentos (-3,56%). Nas outras localidades, os aumentos situam-se entre 3,50%, no Rio de Janeiro e 16,04% em Natal. Os aumentos mais significativos foram verificados em Natal (16,04%), João Pessoa (15,25%) e Recife (14,84%).

Nos últimos 12 meses, de dezembro de 2011 a novembro deste ano, o custo médio da cesta de alimentos aumentou em todas as capitais pesquisadas, com destaque para Natal (19,63%), João Pessoa (18,71%) e Fortaleza (18,46%). As menores elevações foram verificadas em Goiânia (1,82%), Porto Alegre (2,57%) e Rio de Janeiro (3,98%).

com informações do Dieese

Foto: Ilustração

Mais Notícias de Economia
Rovena Rosa/Agência Brasil
04/07/2022  17h40 Demanda por voos domésticos tem queda de 2,5% no Brasil em maio
Taxa média de ocupação de aviões foi de 75,1%, menos 6,6% em relação a maio de 2019
Investimentos de fundos árabes no Brasil atingem US$ 20 bilhões
04/07/2022  14h45 Investimentos de fundos árabes no Brasil atingem US$ 20 bilhões
Presença na Expo Dubai gerou negócios com previsão de investimentos de US$ 10 bi
IPC-S recua em quatro capitais de maio para junho, diz FGV
04/07/2022  09h45 IPC-S recua em quatro capitais de maio para junho, diz FGV
Apesar disso, o IPC-S nacional, divulgado na semana passada, subiu 0,17 percentual
Valor dos combustíveis devem ser reduzidos em Sergipe
02/07/2022  16h45 Valor dos combustíveis devem ser reduzidos em Sergipe
Cálculo do ICMS será alterado a partir de convênio entre Estado e Confaz
UFS informa desligamento de ar condicionado nos campi para economizar
02/07/2022  07h40 UFS informa desligamento de ar condicionado nos campi para economizar
Medida entra em vigor na próxima segunda (4) e busca enfrentar cortes no orçamento